São Sebastião terá o primeiro Parque Aquícola do Litoral de São Paulo



Postado em: 14/02/2014


 

Foto: Luciano Vieira/PMSS

A ideia é mapear os mais de 100 quilômetros de costa

São Sebastião-14/02/2014 - A Prefeitura de São Sebastião firmou um convênio com o Ministério da Pesca e Aquicultura para a implantação do primeiro Parque Aquícola do litoral paulista. O investimento é de aproximadamente R$ 285 mil e contempla a realização de estudos, aquisição de equipamento e o ordenamento marinho.

Parque aquícola é um espaço físico contínuo em meio aquático, delimitado, que compreende um conjunto de áreas aquícolas afins, em cujos espaços físicos intermediários podem ser desenvolvidas outras atividades compatíveis com a prática da aquicultura.

De acordo com diretor do departamento Evandro Sebastiani, a intenção é fazer todo o mapeamento da costa de São Sebastião. “Vamos mapear os 104 quilômetros de costa do município e demarcar as áreas aquícolas fazendo o ordenamento marinho, por exemplo, de onde pode ser realizado o cultivo marinho, o local de pesca e o fundeio das embarcações. Queremos também fazer todo o estudo de fauna e flora e traçar um perfil do fundo do mar, incluindo a análise da água".

Outra medida da Secretaria de Meio Ambiente é adquirir equipamentos para o departamento como, por exemplo, a compra de uma embarcação. “Vamos providenciar a compra de um barco que consiga navegar em mar aberto e garantir o aumento de nossa atividade no mar, inclusive, de fiscalização”, completa.

Esta é a primeira vez que o município faz um trabalho como este e, de acordo com Sebastiani é também o primeiro parque aquícola a ser instalado no litoral de São Paulo. “Temos a informação de que existe este tipo de trabalho em municípios com rios e em água doce, mas, no litoral e mar ninguém até hoje iniciou este tipo de ação”, reforça.

Bijupirá

A implantação destes estudos também irá fomentar a segunda fase do projeto Bijupirá com a possibilidade de levar os alevinos (peixes recém saídos do ovo)  – que ficam na sede do projeto localizado na Praia Grande – Balneário dos Trabalhadores – para serem cultivados no mar e com isso aumentar a produção marinha. “Sem dúvida nenhuma este será mais um avanço para o projeto com a tentativa de aumentar a produção de peixes marinhos e estimular o consumo e cultivo por parte dos pescadores artesanais e outros interessados da cidade”, finaliza Sebastiani.



Últimas Notícias