Divulgação/PMC

Litoral Norte tem duas mortes suspeitas de H1N1 em menos de 24 horas



Postado em: 07/04/2016


Dois homens morreram em Ubatuba e Caraguatatuba entre quarta (6) e quinta-feira (7) com suspeita de H1N1. Nos dois casos aguardam-se os resultados dos exames para confirmar a causa da morte. Não há o registro oficial de morte pela doença no Litoral Norte.

Caraguatatuba

Um homem que faleceu na manhã desta quinta-feira, dia em que completava 37 anos, em Caraguatatuba, após dar entrada, no dia anterior na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) com um quadro de insuficiência respiratória aguda.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que Caraguá registrou este ano 11 notificações de Gripe A (H1N1). Deste número, um é positivo, três são negativos, seis em investigação e uma morte suspeita.

O caso positivo é de um homem do Bairro do Caputera, que recebeu alta da Casa de Saúde Stella Maris e passa bem.

O caso suspeito é o da morte verificada na manhã desta quinta-feira.

Os seis casos em investigação são:

- Sexo Masculino, 44 anos (morador do Pegorelli)

- Sexo Feminino, 75 anos (moradora do Golfinho)

- Sexo Masculino, 7 anos (morador do bairro Jardim Terralão)

Os pacientes receberam alta e passam bem

- Sexo Feminino, 61 anos (moradora do Morro do Algodão)

- Sexo Feminino, 37 anos (moradora do Pontal Santa Marina)

- Sexo Feminino, 30 anos (moradora do Pegorelli)

Os pacientes estão internados na Casa de Saúde Stella Maris e passam bem.

Há três casos negativos e os pacientes passam bem.

Ubatuba

Em Ubatuba, um homem de 56 anos morreu na Santa casa, na noite desta quarta-feira com suspeita de H1N1. Ele estava internado desde o último dia 2, já com suspeita da doença e aguardava o resultado do exame para confirmação ou não da doença por parte do Instituto Adolfo Lutz.

A Prefeitura de Ubatuba informou que não há casos confirmados da doença e que acompanha “com atenção os casos suspeitos”.

São Sebastião

Em São Sebastião, de acordo com a Prefeitura, de janeiro a março deste ano, foram notificados sete casos de Síndrome Respiratória Grave, dos quais quatro resultaram negativos, um confirmado pelo critério clínico de Influenza não especificada e dois aguardam resultados, sendo um deles de morador residente em Caraguatatuba. Em 2015, foram notificados oito casos dessa síndrome, dos quais sete não confirmados para H1N1 e apenas um confirmado de uma pessoa residente em Caraguá.

Ilhabela

Até o momento não há nenhum caso confirmado de H1N1 no município. O abastecimento da rede com as vacinas da gripe está dentro da normalidade e cumprindo o calendário previsto entre o público de gestantes e crianças que ainda terão de tomar mais uma dose durante a campanha que tem início no próximo dia 30.

Ilhabela não está em estado epidêmico para a doença, mesmo assim a secretaria da Saúde de Ilhabela tem fornecido maior quantidade de álcool gel em todas as UBSs e orientando as equipes.

A doença

A influenza é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global, também chamada como gripe e influenza humana. Seu vírus se subdivide em A, B, e C. Dentre estes os mais importantes em relação aos que provocam a gripe Humana são os subtipos A e B. O vírus do H1N1, pertence ao subtipo A, isto é, integra o grupo da Influenza.

 "É importante entender que o H1N1 é um tipo de gripe que pode se agravar para uma Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)", explicaram Milene Cordeiro, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica, e Givanildo Ferreira Tavares, diretor do Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Saúde de São Sebastião.

Transmissão

A transmissão é direta de pessoa a pessoa e o mais comum é por meio de gotículas expelidas pelo indivíduo infectado ao falar, espirrar e tossir. Também há evidências de transmissão pelo modo indireto, por meio do contato com as secreções de partículas virais diretamente nas mucosas oral, nasal e ocular. Um indivíduo pode contraí-la várias vezes ao longo da vida. Em geral, a evolução é autolimitada, porém, a maior preocupação é com as complicações.

Prevenção

A vacina é capaz de promover imunidade efetiva e segura durante o período de circulação sazonal do vírus que este ano começou mais cedo. A vacinação na rede pública é feita anualmente para prevenir a doença. Em São Sebastião, a campanha de vacinação acontecerá de 30 de abril a 20 de maio. A vacina é indicada para crianças de seis meses a menores de cinco anos, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde (público e privado), indígenas, pessoas com doenças crônicas, grupos com 60 anos ou mais e população prisional.

Como se precaver:

  • Mantenha higienização frequente das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento;
  • Utilize lenço descartável para higiene nasal. Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir e higienize as mãos com água e sabão ou álcool gel;
  • Evite tocar as mucosas dos olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal (talheres, pratos, copos ou garrafas);
  • Mantenha os ambientes ventilados e evite contato próximo a pessoas que apresentem sintomas ou sinais da Influenza. Evite, também, aglomerações e ambientes fechados;
  • Adote hábitos saudáveis com alimentação balanceada e abuse dos líquidos;
  • As gestantes devem procurar o serviço de saúde caso apresente os sintomas da Síndrome Gripal. Após o nascimento do bebê, se a mãe estiver doente, deve usar máscara e lavar as mãos antes de amamentar e manipular suas secreções.



Últimas Notícias