Ricardo Faustino/PMSS

Áreas com risco de deslizamento na Costa Sul são monitoradas pela Defesa Civil de São Sebastião



Postado em: 06/11/2015


Em decorrência da constante chuva que atinge a região, a Defesa Civil de São Sebastião monitora duas áreas com risco de deslizamento de terra na Costa Sul do município. Os locais ficam nos bairros de Juquehy e Maresias.

De acordo com o coordenador da equipe, Carlos Eduardo dos Santos, o Carlão, caso os índices pluviométricos aumentem nas próximas horas, os moradores terão que ser removidos de suas casas.

Em Juquehy, na Vila Pantanal, o volume registrado até o início da tarde desta sexta-feira (6), era de 27 milímetros. "Se passar dos 30 milímetros pode ocorrer deslizamento e duas moradias correm o risco de serem afetadas", informou Carlão.

Em abril de 2014, o local sofreu um escorregamento e provocou a interdição de sete imóveis. Na ocasião, apenas uma moradia foi atingida com a terra, mas não houve vítimas.

Já em Maresias, no final da rua Porto Seguro, no morro, a Defesa Civil informa que o índice pluviométrico registrado foi de 33 milímetros até o fim da manhã, também desta sexta-feira.

Segundo Carlão, caso o volume chegue a 40 milímetros a equipe terá que retirar as famílias de quatro moradias, sendo duas de alvenaria e duas de madeirite.

Ele explicou que na área há terra lançada em função de um corte, cujo material desceu para a encosta e oferece risco de deslizamento.

Atenção

Em vistoria aos locais, a coordenadoria da equipe recomendou muita atenção dos moradores para as seguintes situações: observar o surgimento de trincas no solo, se a água que desce é barrenta e verificar a inclinação das árvores. "Em qualquer desses casos é necessário acionar a Defesa Civil pelo telefone 199. Se a situação for grave, as famílias precisam sair imediatamente de suas casas", avisou Carlão.

A previsão é de que a chuva, mesmo fraca, continue até este sábado (7), o que pode encharcar ainda mais a terra e causar deslizamentos.

Além desses lugares, os agentes da Defesa Civil monitoram outras áreas com risco de escorregamentos na Costa Sul da cidade. São eles: o Morro do Esquimó, em Juquehy; o final da rua Cordovil Moreira, em Maresias; a Vila Sahy, na Barra do Sahy; um pequeno trecho da estrada Beira-Rio, o Morro do Macaco Molhado e dois pontos na Vila Tropicanga, em Boiçucanga.

Outra recomendação da coordenadoria está relacionada à rodovia Dr. Manoel Hipólito do Rego ou Rio-Santos, no trecho de serra entre Maresias e Boiçucanga. "Os motoristas precisam ficar bastante atentos com possíveis quedas de barreira e o desprendimento de pedras soltas sobre a pista", advertiu Carlão.

Reunião

Em uma reunião ocorrida nesta sexta-feira (6) em Maresias, a Defesa Civil também fez um alerta aos participantes sobre o grande volume de chuva que deve atingir a cidade entre os meses de dezembro de 2015 a janeiro de 2016.

Segundo o coordenador Carlão, os índices pluviométricos serão altos e as chuvas virão com muitos raios e ventos.

No bairro de Maresias, ruas como a do Forno, da Cesp, Olímpio Romão Cesar, entre outras, costumam ter pontos de alagamentos quando a chuva é forte. Em situações assim, os moradores devem acionar a Defesa Civil e sair de suas casas.

Recentemente, a equipe realizou o desassoreamento no rio que corta o bairro para facilitar a vazão da água e amenizar o problema das enchentes.

Nesta semana, o serviço de limpeza e desassoreamento também começou a ser desenvolvido no entroncamento dos rios Itú com o Grande, em Boiçucanga, com a mesma finalidade.



Últimas Notícias