Radar Litoral

Com balsas quebradas, turistas enfrentam 3 horas de fila na volta do feriadão na Ilha; moradores reclamam da qualidade do serviço



Postado em: 10/07/2018


O turista que resolveu passar o feriadão de 9 de julho em Ilhabela enfrentou dificuldades para retornar do arquipélago, na tarde de segunda-feira e ou mesmo nesta terça (10/7). Na segunda, feriado do Dia da Revolução Constitucionalista, a fila para a travessia de balsa teve tempo de espera superior a três horas. Já nesta terça, a espera foi de uma hora e meia pela manhã e de mais de 2h30 no início da tarde. Segundo a Dersa, problemas mecânicos tiraram algumas embarcações da operação. 

O Radar Litoral recebeu reclamações de usuários quanto ao serviço prestado na travessia operada pela Dersa, ligada à Secretaria dos Transportes do Estado. Na manhã desta terça-feira, das sete balsas que integram o sistema de travessia, apenas três operavam. A situação continua durante a tarde.

Ilhabela promove uma série de eventos, incluindo shows musicais, ao longo do mês de julho na programação da Semana Internacional de Vela. Além disso, a cidade também é sede dos Jogos Regionais junto com a vizinha São Sebastião a partir do dia 18, de maneira que a expectativa é de movimento intenso ao longo do mês.

Imagem do site da Dersa mostra o tempo de espera às 14h35 desta terça-feira (10/7)

Dersa

Em nota, "a Dersa – Desenvolvimento Rodoviário S/A informa que na tarde de ontem, 9, duas balsas das cinco que operam a Travessia São Sebastião/Ilhabela apresentaram problemas mecânicos. Por conta disso, precisaram passar por manutenção por um curto espaço de tempo. As duas embarcações retornaram à operação no mesmo dia. Além disso, o  fluxo de veículos também era mais intenso por conta do retorno dos motoristas no feriado. Na manhã desta terça-fera, 10, a Dersa informa que a as embarcações FB-29 e FB-25 apresentaram problemas mecânicos e passam por manutenção corretiva.  A Travessia São Sebastião/Ilhabela opera com 90 minutos em Ilhabela. Do lado de São Sebastião a fila segue normalizada com espera de 30 minutos. Outro motivo, é a força de maré que atinge ventos de 22 nós (40,7 km/h) o que dificulta o carregamento dos veículos nas embarcações, além de tornar a velocidade do serviço mais lenta.



Últimas Notícias