JC Curtis/Fundacc

Tradicional Cerimônia 'Barcos ao Mar' marca fim do Defeso do Camarão em Caraguá


Postado em: 24/05/2018

A 21ª edição da tradicional cerimônia 'Barcos ao Mar', que marca o fim do Defeso do Camarão, será realizada neste domingo (27), a partir das 9h, no Entreposto do Camaroeiro. No evento, a comunidade pesqueira de Caraguatatuba se reúne para pedir a proteção de São Pedro Pescador e de Nossa Senhora dos Navegantes para a abertura da pesca do crustáceo.

 A novidade deste ano é que haverá a 'Benção das Redes', onde o padre Beto, pároco da Igreja Matriz de Santo Antonio, irá abençoar as redes dos pescadores.

Com os barcos enfeitados, os pescadores saem do píer do Camaroeiro em procissão marítima, passando pela Prainha e Martin de Sá, de onde retornam para a benção das embarcações, na ocasião, feita pelo padre Carlos Alberto da Silva, conhecido como padre Beto, pároco da Igreja Matriz de Santo Antônio.

Em seguida, haverá a procissão terrestre, novamente com os fieis carregando o andor com as imagens de São Pedro Pescador e de Nossa Senhora dos Navegantes. A Banda Municipal Carlos Gomes acompanha todo o cortejo a pé.

Este evento abre a pesca do camarão e antecede o 21º Festival do Camarão que este ano será realizado em duas semanas, dos dias 11 a 15 e 19 a 20 de julho na Praça da Cultura (Avenida da Praia), no Centro de Caraguatatuba. A festa terá Barracas de Gastronomia, Rota do Cambuci, Casa da Farinha, Shows ao vivo, Casa Caiçara e artesanato identitário.

O "Barcos ao Mar" é uma realização da Fundacc – Fundação Educacional e Cultural e da Prefeitura de Caraguatatuba em parceria com a Comunidade Pesqueira da Praia do Camaroeiro.

Homenagem 

Este ano o homenageado será o pescador José Teixeira de Souza, mais conhecido como Terra Seca, de 58 anos. José Teixeira nasceu em Mombaça, no Ceará, em 12 de maio de 1960, filho de Francisco Teixeira Evangelista, agricultor, e de Antonia Felícia Evangelista.

Teixeira tem 11 irmãos, sendo os quatro mais velhos do primeiro casamento de seu pai, Manoel e Antonio, que viveu e faleceu em Caraguatatuba, Maria, Elisa, Isabel, Francisco e o irmão caçula João, que também viveu em Caraguá.

Por ter nascido no interior do Ceará e ter vivido da agricultura, seus amigos caiçaras lhe apelidaram de Terra Seca.

Ele chegou a Caraguatatuba em 1988 para trabalhar na lanchonete do irmão mais velho, Antônio Teixeira, mas se encantou com o mar e com a vida de pescador dos muitos amigos que fez.

O primeiro camarada a lhe ensinar o ofício da pesca do camarão foi Jorge Benedito do Nascimento, o Jorge Gordo, e, tomando gosto, nunca mais deixou a vida no mar. Reconhecido e cadastrado pela Capitania dos Portos e pela Associação dos Pescadores em 1990, até hoje vive da pescaria.



Últimas Notícias