Cláudio Gomes/PMC

Prefeitura de Caraguá inicia obras de contenção de rampa e pede atenção aos frequentadores do Morro Santo Antônio


Postado em: 16/05/2018

Foram iniciadas recentemente as obras de contenção do trecho da rampa leste do morro Santo Antônio. Entre as ações iniciais estão o preenchimento das erosões com terra e preparação para o plantio e, para a execução dos trabalhos desta primeira fase, serão utilizadas diversas metodologias, entre elas, o rapel.

Devido às obras, o local deve ficar bastante movimentado nos próximos meses, por isso, a Prefeitura de Caraguatatuba, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, pede cautela dos visitantes, já que para o desenvolvimento dos trabalhos é necessário uma área de apoio livre para ancoragem dos equipamentos e guarda de materiais. "O local não possui grandes espaços para o trabalho, o que limita muito o trânsito de veículos e de pessoas. Por isso pedimos que aqueles que gostam de subir o morro que redobrem a atenção e fiquem atentos ao trânsito no local", explica Tatiana Soares Scian, diretora de Saneamento e Educação Ambiental da secretaria.

As obras serão realizadas de segunda a sexta-feira, em horário comercial e a Secretaria de Trânsito deverá reforçar sua presença durante este período.

Obras de contenção

Em 2017, Caraguatatuba sofreu com fortes chuvas que atingiram a cidade. Um dos principais impactos foi um escorregamento de terra, que provocou uma fissura no morro Santo Antônio, desde o topo até a base, destacando-se da vegetação nativa ao seu entorno e por se tratar de uma região com aclive a Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, juntamente com a Secretaria de Obras e Defesa Civil, decidiram realizar a contenção e estabilização da encosta para evitar novos escorregamentos.

Após a análise de diversas opções de contenção, optou-se por realizar a Engenharia Natural, um conjunto de técnicas de engenharia em que os principais materiais de construção são plantas, comunidades vegetais e sistemas naturais. O valor previsto do investimento é de R$ 145.000,00 e o tempo estimado para término da obra é de sete meses a partir da sua data de início. 

De acordo com o secretário de Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca, Marcel Giorgeti, a recomposição do local de deslizamento será feita com material (vegetal) vivo, combinado com estruturas inertes como madeira, pedra, bambu, mantas geotêxteis e estruturas metálicas. "Por se tratar de uma área com vegetação adensada da Mata Atlântica, será realizada também uma recomposição vegetal priorizando o plantio de espécies nativas, tudo isso pensando em não impactar o meio ambiente", explicou o secretário.

Com o tempo, a própria vegetação irá incorporar as contenções naturais, trazendo harmonia ambiental e paisagística, além da recomposição estrutural do local.



Últimas Notícias