Exposição dos artistas plásticos Eneida Sanches e Walter Muller é atração na Casa Brasileira



Postado em: 06/05/2018


Obras dos artistas plásticos Eneida Sanches e Walter Muller estão em exposição a partir deste domingo (06) na Casa Brasileira, localizada na Rua da Praia, em São Sebastião.

Uma parceria entre o Instituto Mpumalanga e o Instituto Candeias traz para a Casa Brasileira,  obras  de Walter Muller para a mostra “Na diversidade, o encontro de corpos”. O artista,  que se divide entre a medicina e a arte, pretende, com suas obras, “estabelecer uma relação entre diferentes corpos, ultrapassando os limites da condição social, da cor da pele, de escolhas religiosas, das origens étnica e geográfica, das direções sexuais, dos gêneros”, explica a filósofa e terapeuta Doralina Rodrigues, presidente do Instituto Candeias.

Trabalhando em suas telas com figuras que adquirem diversas interpretações de acordo com a variação da luz, Walter Muller dá pistas da ligação de sua poética com a filosofia da diferença de Gilles Deleuze. A intenção do artista é “construir pictoricamente um elemento perturbador” e, para isso, utiliza a figura “não como representação, mas como uma célula osmótica que pode ser esticada, acrescentada de material, cores e sensações...”, completa um Walter Muller fascinado pela complexidade das relações humanas. 

Transe

“Eneida é uma gravadora que já vem de longo embate com o cobre – agora acompanhado pela folha de chumbo”, afirma Marília Panitz, curadora da mostra Transe: deslocamento de dimensões, que Eneida Sanches apresentará na Casa Brasileira. 

Ao falar sobre a obra dessa artista plástica, arquiteta e pesquisadora da estética africana e afro-brasileira, Panitz explica que, na poética de Eneida, “o corpo a corpo com as superfícies metálicas se expande  à medida que a artista subverte a função do metal,  que,  de suporte-matriz, assume seu lugar no desenho”.   Na mostra Transe: deslocamento de dimensões, Eneida traz gravuras de “olho de boi”, mergulhos e saltos, inscrições sobre o papel, fricções sobre o metal  em uma longa série que se desdobra em instalações, roupas para performance, material base para trabalho em colagem e painéis que transitam pela religiosidade da cultura afro-baiana. Para esta mostra realizada na Casa Brasileira estão os cubos em aço, matrizes e papel gravado nomeados Transe, denominação que abarca toda a série e que toma o espaço a partir da parede sobre a qual emerge um terceiro componente que é parte da obra: a sombra”, completa a curadora.                       

“Uma alegria receber o convite para expor na Casa Brasileira, espaço que já havia visitado pelo site, quando imediatamente me apaixonei por ser um lugar de incentivo à cultura”, conta Eneida Sanches.  Além da exposição, Eneida trará para o espaço de cultura, artes e gastronomia do Instituto Mpumalanga, no centro histórico de São Sebastião, a experiência com gravuras, entalhe e manufatura para oficinas com crianças e adultos durante as férias de julho.

Já o médico e artista plástico Walter Muller estará dentro da agenda de rodas de conversa da Casa Brasileira, com “conversações afirmativas” e oficinas de pintura. 

Serviço:
As exposições “Na diversidade, o encontro de corpos”, de Walter Muller, e “Transe, deslocamento de dimensões”, de Eneida Sanches, estarão abertas à visitação gratuita na Casa Brasileira de terça-feira a domingo,  das 14h às 21h.
Casa Brasileira- Av.Dr.Altino Arantes, 80, Centro, São Sebastião-SP.  Fone: (11) 998388794



Últimas Notícias