Divulgação/PMSS

Em dois dias, sete macacos são encontrados mortos com suspeita de febre amarela em São Sebastião


Postado em: 29/04/2018

A Prefeitura de São Sebastião, por intermédio da Secretaria de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica, encontrou sete macacos Bugio mortos na região nos últimos dias. Foram três na sexta-feira (27/) na Travessa Porto Seguro em Maresias, Costa Sul de São Sebastião, sendo dois caídos no chão da mata e um caído na copa das árvores; outros dois em Boiçucanga, na Estrada do Rio das Pedras; e no sábado (28), um no Guaecá (Região Central da cidade) e outro em Paúba. Os macacos não apresentavam lesão e nem sinal de agressão.

Segundo a diretora da Vigilância em Saúde, Fernanda Paluri, moradores do local entraram em contato com o Centro de Operações Integradas (COI) e uma equipe da Vigilância e da Defesa Civil foram deslocadas ao local. Os macacos foram levados para realizar necropsia, e as amostras seguiram para Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

Segundo a diretora da Vigilância, existe uma grande a probabilidade de a causa da morte ser por Febre Amarela, pois os macacos não apresentavam lesão e nenhum ferimento, de acordo com a necropsia. Os órgãos apresentavam sinais ectéricos, mas a comprovação vai ser através dos exames realizados pelo Instituto.

De acordo com Fernanda, a população precisa se conscientizar que o vírus está circulando em nossa região e é preciso se vacinar. "Vai ser frequente encontrar macacos mortos, a preocupação agora é que todos estejam vacinados e que, ao encontrarem um macaco morto, devem entrar em contato com o 153 (COI)", avisou.

As ações continuam em todo município. Equipes de saúde estão adentrando as regiões próximas à mata e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e PA (Pronto Atendimento) de Boiçucanga, está aberta das 7h às 19h para vacinação exclusiva de febra amarela.

A vacinação está disponível até terça-feira nos postos volantes.

"Fica confirmado que o vírus está presente em nossas matas e a doença pode ser levada até nós pelo mosquito. A aparição de novos macacos mortos não é o fator mais relevante nesse momento, uma vez que já sabemos que o vírus está presente, e essas constatações irão ocorrer invariavelmente. Devemos portanto concentrar nossas ações na intensificação da cobertura de vacinação", avisou o secretário Carlos Pinto.

Segundo ele, através das ações da Vigilância, coordenadas pela Secretaria da Saúde, desde o início da campanha, em 25 de janeiro, há uma preocupação muito grande com a conscientização da população quanto à importância da imunização. Após a campanha, a vacinação se estendeu através dos bairros, em busca dos munícipes não vacinados. Mas ainda houve muita resistência e negativas, e a cobertura não pôde ser integral. Nesse sentido, para um maior alcance, foi deflagrado um plano de contingência de combate à febre amarela envolvendo várias secretarias do município, que em conjunto estão trabalhando intensamente para atingir o maior número de pessoas na imunização.

"Essas ações tiveram início da última sexta-feira quando equipes de vacinação em conjunto com agentes de endemia, Defesa Civil e Guarda Florestal foram à campo, num trabalho casa a casa, e avançaram a mata estendendo a vacinação aos pontos mais distantes. "Espera-se nessa ação atingir cerca de cinco mil pessoas vacinadas", comentou o secretário.

Em Maresias, na Praça do Surf, haverá um posto fixo de atendimento no Centro de Informações Turísticas. "Neste momento o mais importante é conscientizar aqueles que não se vacinaram a procurarem a vacina. No início da campanha foram veiculadas de forma enganosa pelas redes sociais informações enganosas que tentaram dar descrédito à vacina, porém é importante que todos saibam que a vacina é segura e é o único meio de se evitar a morte pela doença", disse o secretáriio.

Até o momento estima-se que cerca de 70% da população tenha sido vacinada, porém os 30% restantes ainda correm risco.  "A vacina pode mudar a sua vida a Febre Amarela também".



Últimas Notícias