Luciano Vieira/PMSS

Integração entre Bombeiros e Samu otimiza atendimento a ocorrências no Litoral Norte



Postado em: 20/02/2018


Otimizar e possibilitar que ocorrências que demandam atendimentos pré-hospitalares sejam sanadas no menor tempo possível. A área da saúde exige tempo de resposta cada vez mais rápido, porque um minuto a mais pode custar uma vida.

Aos poucos, isso começa a ser realidade em São Sebastião. O Corpo de Bombeiros está totalmente integrado ao Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência). Os dois setores se comunicam por meio de rádios programados na mesma frequência para o atendimento de ocorrências na cidade.

Com isso, a comunicação foi otimizada para que as ações sejam traçadas com inteligência e de forma ágil. "Os benefícios são imensos, porque não tínhamos rede de rádio, que agora foi viabilizada", explicou o comandante do Corpo de Bombeiros do Litoral Norte, capitão Newton Krüger.

A coordenadora do Samu no Litoral Norte, Mara Abreu, também falou sobre esta integração. "O Samu passa por uma nova fase de integração na comunicação, é um processo gradual de adaptação, porém, que vem apresentando resultados positivos, pois além de otimizar os recursos, o atendimento dos bombeiros passa a ter a avaliação e orientação do médico regulador quanto às condutas a serem aplicadas ao paciente, melhorando a qualidade que é o nosso objetivo", destacou.

A integração entre Bombeiros e Samu sempre esteve dentro das propostas da Prefeitura de São Sebastião. A corporação recebeu os aparelhos de rádio que foram programados para serem operados na mesma frequência do Samu.

Além disso, também foi disponibilizado o sinal de rede para os municípios de Caraguatatuba e Ubatuba, que utilizarão a infraestrutura oferecida em São Sebastião para se comunicarem futuramente com os Bombeiros e os Samu's das cidades da região.

Segundo informou o comandante, muitas vezes duas viaturas – uma do Corpo de Bombeiros e outra do Samu – se deslocavam ao local da mesma ocorrência para realizar o atendimento, quando podiam estar distribuídas de maneira diferente. "Tivemos um ganho de qualidade e na inteligência das ações integradas, porque podemos nos comunicar mais rapidamente com o médico regulador e ter orientação em tempo real sobre os procedimentos para atender cada caso", acrescentou.  



Últimas Notícias