Estado de emergência: 75 pessoas desalojadas em São Sebastião e 20 na Ilha; temporal causa alagamentos e deslizamentos de terra


Postado em: 14/02/2018

A forte chuva desde o final de tarde de quarta-feira (14) causou caos e destruição principalmente em São Sebastião e Ilhabela. Foram registrados alagamentos em diversos bairros dos municípios.

Em São Sebastião, foram verificados alagamentos em bairros das costas norte e sul e também na região central. Parte de um muro da Petrobras, na Rua Ilhabela, na Vila Amélia, foi destruído pela força da água. O prefeito Felipe Augusto decretou estado de emergência e percorreu as áreas mais afetadas.

O prefeito sebastianense criou na madrugada desta quinta-feira (15), um gabinete de crise, que funciona na Garagem Municipal e envolve diversos setores da Prefeitura e outros órgãos, como Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, entre outros.

Nesta manhã de quinta-feira (15/2), por volta das 10h30, a prefeitura informou que até a última atualização do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemadem) e da Coordenaria da Defesa Civil de São Sebastião, o município registrou até 4h30 um índice acumulado de 220 milímetros. Só nas últimas 12 horas o acumulado foi de milímetros 150 milímetros, a previsão é de que até sexta-feira (16/02) o acumulado seja de 440 milímetros

Até o momento 24 famílias foram removidas de suas residências, 75 pessoas estão alojadas na escola municipal da Topolândia, na região Central de São Sebastião. Toda a ação está sendo coordenada pelo Fundo Social de Solidariedade e Secretaria de Desenvolvimento Social. As pessoas receberam na chegada à escola kits de higiene pessoal, colchão, lençol, cobertor, água e refeição (jantar). Quatro assistentes sociais estiveram envolvidos no processo de triagem. A partir das 7h, equipes da prefeitura servirão café da manhã para os desalojados e a partir das 11h almoço.

A cidade encontra-se em estado de emergência, já tendo solicitado apoio à Coordenaria Estadual de Defesa Civil (CEDEC). Na manhã desta quinta a cidade recebe integrantes da Casa Civil – oficiais militares e um geólogo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). A Prefeitura está pedindo também apoio à população para fazer doação de lençóis, água, roupas, alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal para os desalojados. Os pontos de coleta são Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), localizado na rua Sargento Theodoro Felisbino da Silva, nº 200, em Boiçucanga, no Fundo Social de Solidariedade, localizado na Rua Sebastião Silvestre Neves, nº 128, Centro e na Secretaria de Turismo, localizada na Avenida Doutor Altino Arantes (Rua da Praia), s/n, Centro.

Foram registradas ocorrências em todos os bairros do município, como queda de árvores em vias públicas, em redes de energia, queda de árvore em residência, queda do muro da Petrobras no bairro da Vila Amélia, queda da passarela do rio Una, em Barra do Una, 27 alagamentos, 18 deslizamentos. O ponto crítico encontra-se no bairro da Topolândia onde até o momento foram registradas ocorrências mais graves, como por exemplo a remoção das 23 famílias.

A Defesa Civil está atuando em parceria com o Corpo de Bombeiros, EDP Bandeirante, Polícia Militar e Guarda Civil Municipal (GCM) – 30 viaturas e aproximadamente 120 profissionais estão trabalhando durante todo o período das ocorrências. A Prefeitura de São Sebastião disponibilizou 20 máquinas, contratadas de forma emergencial, para efetuar a desobstrução das vias por todo município, de Costa Norte à Costa Sul.
Ocorrências

Principais ocorrências (balanço atualizado às 10h30 desta quinta 15/2)
Pitangueiras – afundamento de pista; queda de árvores, 2 alagamentos e fios energizados.
Centro / Vila Amélia – queda de muro da Petrobrás; alagamento Pronto-Socorro, queda de árvore e alagamentos de vias.
Olaria – Deslizamento barranco das obras do Contorno Sul da Rodovia Nova Tamoios.
Topolândia – quadro deslocamentos de blocos rochosos; alagamento e deslizamento (remoção de 23 famílias/150 pessoas-aproximadamente).
Itatinga – um deslizamento.
Barra do Una – alagamento (Vila dos Mineiros); queda da passarela do Rio Una.
Sertão do Una – árvore caída em via pública.
Pontal da Cruz – três alagamentos, um deles em numa residência em que a família foi para casa de amigos.
São Francisco – 1 alagamento e 1 deslizamento.
Morro do Abrigo – 1 alagamento; muro desabou (Ponto Final/Travessa Viçosa).
Barequeçaba – dois deslizamentos com queda de barreira.
Canto do Mar – alagamento da avenida Netuno.
Toque-Toque Grande – queda de árvore com fio energizado.
Arrastão – 1 alagamento.
Portal da Olaria – 1 alagamento.
Porto Grande – queda de árvore sob residência.
Jaraguá – 1 ponto de alagamento no Núcleo Chico Soldado.

Pontal da Cruz - Neste bairro (foto acima), carros foram arrastados pela enxurrada. 

Rua Antônio Pereira da Silva - Topolândia

Ilhabela

Ainda na noite de quarta, o prefeito Márcio Tenório se reuniu em seu gabinete com representantes de secretarias e a Defesa Civil com o intuito de realizar um diagnóstico sobre a situação da cidade após as últimas horas de chuva que vem ocorrendo em toda a região.

Após receber a avaliação da Defesa Civil e das equipes que trabalham desde o início da chuva que cai em Ilhabela, o prefeito Márcio Tenório mudou a situação no município para emergência. De acordo com o decreto 6887, a existência de famílias afetadas, a garantia da integridade física dos munícipes, assim como a situação em que se encontram algumas áreas e a necessidade de serviços imediatos e atitudes urgentes visando a recomposição dos danos e a eliminação do comprometimento da segurança dos moradores e seus bens, requeriam a mudança do estado.

A cidade segue monitorada e, neste momento, tem novos pontos a meia pista devido a escorregamentos de árvores e terra, próximos aos bairros do Reino e Ponta da Sela. Além disso, mais de 20 pessoas já foram retiradas de suas casas e se encontram na Escola de Vela Lars Grael. São 19 moradores (7 crianças) do bairro Cantagalo, e seis do Morro dos Mineiros. "A preocupação que temos e a urgência em liberarmos todas as aprovações dos órgãos estaduais e federais para efetivarmos o maior projeto de regularização fundiária e habitacional da cidade, é justamente para que problemas como estes, de deslizamentos de terra, onde há o risco iminente contra a vida, sejam evitados. Estamos fazendo a obrigação da administração pública, que é coibir o crescimento desordenado acarretado nos últimos anos e promover ações  para destinar locais de moradia a estes munícipes", explicou o prefeito.

Av. Pedro Paula de Moraes, Saco da Capela - Ilhabela

Caraguatatuba

A Prefeitura de Caraguatatuba informa que apesar das chuvas intensas, a Defesa Civil não foi acionada para casos graves. Muitos bairros apresentaram problemas de alagamento devido a maré alta e a grande quantidade de chuvas. Segundo o site do Cemaden, as demais cidades litoraneas estão sofrendo mais com as chuvas. Caraguatatuba registra um acumulado de chuvas de 52.9 mm nas últimas 24 horas. O município se encontra em estado de observação, segundo o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC). Ao todo, 13 pessoas do bairro Perequê-Mirim foram levadas para alojamento no Cemug.

* Matéria atualizada às 10h46 desta quinta-feira (15/2)



Últimas Notícias