Fotos: Radar Litoral

Ernane presta depoimento na PF e cobra apuração de denúncias


Postado em: 05/12/2017

O ex-prefeito de São Sebastião, Ernane Primazzi, reafirmou que está tranquilo com relação às denúncias da “Operação Torniquete”, deflagrada na última semana pela Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União. “Estou à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários e quero que as investigações apurem fatos deste ano”, afirmou o ex-prefeito em entrevista ao Radar Litoral após o depoimento.

 Ernane chegou por volta das 15h20 à sede da PF, acompanhado do advogado Celso Fraga. O seu depoimento teve início por volta das 16 horas. Entre esclarecimentos, acesso e leitura de documentos, ele permaneceu na PF por cerca de 3h30.

O ex-prefeito disse que o delegado informou que teria o direito a ficar calado, mas que respondeu todas as perguntas. “Não havia nada contundente sobre participação nossa nas denúncias apresentadas. Se há a denúncia, tem de ser apurado. Estou à disposição para prestar esclarecimentos toda vez que for necessário”.

Ernane afirmou que a sua responsabilidade, caso haja alguma irregularidade, é de não ter detectado, mas não de participação. “Não posso saber se um cara pesou o lixo a mais ou se outro comprou remédio a mais. Tínhamos pessoas exercendo cargos de confiança e responsáveis por isso”.

O ex-prefeito ressaltou que pediu a PF que continue investigando ações da administração atual também, “pois tem muita coisa acontecendo, com licitações direcionadas, o caso de 47 desapropriações sem rubrica orçamentária e sem constar no PPA (Plano Plurianual)”. Ele disse ter levantado questões sobre a gestão anterior de Caraguatatuba.

Sobre as denúncias de desvios no Hospital de Clínicas de São Sebastião, Ernane afirmou desconhecer que isso tenha ocorrido e sugeriu que “sejam ouvidos todos que foram interventores na nossa gestão (2009-2016)”.

Em sua opinião, se houve desvio na sua época, “imagina o que ocorre agora, já que o repasse aumentou e o serviço piorou. Na nossa época, o Hospital era referência e 20% do atendimento eram de Caraguatatuba”.

Ernane afirmou que todas as empresas que constam nas denúncias já tinham contratos com a Prefeitura e continuam na atual administração. “Não trouxe essas empresas. Já estavam e continuam prestando serviços à Prefeitura. Por isso, defendemos que a apuração tenha continuidade sobre os atos dessa gestão”.

“Operação Torniquete”

A operação visa desvendar esquema de propina em contratos da Prefeitura de São Sebastião entre 2009 e 2016. Segundo a PF, fraudes envolviam alto escalão do governo municipal e eram coordenadas pelo então prefeito.

A investigação iniciou-se em 2016 com a finalidade de apurar denúncias de desvios de recursos públicos repassados pelo Município de São Sebastião ao Hospital de Clínicas de São Sebastião, sob intervenção municipal desde 21 de agosto de 2007.

No decorrer da investigação, além de irregularidades na intervenção havida no Hospital de Clínicas, segundo a PF, identificou-se um cenário de corrupção sistêmica, envolvendo secretarias municipais e contratos firmados com diversas empresas prestadoras de serviços. Os indícios apontam os prováveis envolvimentos dos responsáveis pelas secretarias municipais de Saúde, de Habitação e Planejamento, de Obras, das Administrações Regionais, de Administração, de Assuntos Jurídicos e de Fazenda e de outros servidores de menor escalão hierárquico, sob o comando do então prefeito e de empresas que mantinham contratos com o poder público municipal. Interceptações telefônicas e escutas ambientais feitas pela Polícia Federal indicaram a participação direta de integrantes do primeiro escalão do governo municipal nas negociatas e de outros servidores públicos municipais. O então prefeito seria quem coordenava as fraudes e o desvio de recursos públicos.



Últimas Notícias