Daniel Smorigo/WSL

Após eliminar Medina, Deivid Silva, do Guarujá, vence QS 3000 em Maresias; Sebastianense Thiago Camarão é campeão sul-americano


Postado em: 04/11/2017

Após eliminar o campeão mundial de 2014, Gabriel Medina, nas quartas de final, Deivid Silva, do Guarujá, conquistou neste sábado (4/11) o título do Hang Loose São Sebastião Pro QS 3000, disputado desde quinta-feira (2/11) na praia de Maresias, na Costa Sul. Ele derrotou na final Flávio Nakagima, que havia eliminado nas quartas o também campeão mundial Adriano de Souza, o Mineirinho. O sebastianense Thiago Camarão, da praia de Cambury, sagrou-se campeão sul-americano com a pontuação conquistada. O Radar Litoral acompanhou a competição.

Ao contrário dos dois primeiros dias, as ondas estavam bem menores neste sábado e os surfistas mostraram muita técnica e habilidade na execução das manobras. As areias da praia de Maresias ficaram lotadas desde o início da manhã. A etapa do QS 3000 homologada pela WSL South America foi realizada com apoio da Prefeitura de São Sebastião, Itaipava, 89 Rádio Rock, Waves, Federação Paulista de Surf (FPS), Associação de Surf de São Sebastião (ASSS) e Associação de Surf de Maresias (ASM). "Um grande evento esportivo, com ampla divulgação da nossa cidade, e movimentando a economia do município", disse o prefeito Felipe Augusto, que acompanhou as baterias neste sábado.

A torcida que lotou a praia para ver principalmente os campeões mundiais em ação, permaneceu nas areias até as finais, mesmo depois que eles perderam. O campeão Deivid Silva ganhou duas vezes de Gabriel Medina na casa dele, até elimina-lo nas quartas de final. Na disputa seguinte, foi a vez de Flavio Nakagima barrar Adriano de Souza no desempate do duelo que terminou com os dois totalizando 13,07 pontos. A nota 7,90 de Nakagima na última onda definiu a vitória.

A grande final com 35 minutos de duração foi iniciada as 14h50 com a praia cheia em Maresias para assistir uma decisão paulista no Hang Loose São Sebastião Pro. E numa grande disputa, Deivid Silva venceu Nakagima e ficou com o título.

O sebastianense Thiago Camarão conquistou o título sul-americano durante o QS 3000 em Maresias

Título sul-americano

Além de valer 3.000 pontos para o ranking mundial do WSL Qualifying Series, o Hang Loose São Sebastião Pro também definiu o campeão sul-americano da WSL South America no sábado em Maresias. O título foi decidido na última bateria classificatória para as quartas de final. O paulista Thiago Camarão, morador de São Sebastião, precisava ficar no mínimo em terceiro lugar para acabar com as chances do seu único concorrente, Deivid Silva. No entanto, o confronto terminou com ele em quarto, sem contar a nota da sua última onda, que demorou um pouco para ser divulgada.

Camarão ficou na beira do mar aguardando o anúncio e a nota 6,33 recebida foi suficiente para tirar o terceiro lugar do catarinense Willian Cardoso no confronto que classificou o campeão mundial Adriano de Souza e Tomas Hermes para as quartas de final. Só então, Thiago Camarão festejou o título de melhor surfista profissional da América do Sul em 2017 e foi carregado pela torcida até a arena do evento.

Ele liderou o ranking desde a sua vitória na primeira etapa em Mar del Plata, na Argentina. O circuito ainda passou pelo Peru, Chile e por Itacaré, na Bahia, antes de chegar no Hang Loose São Sebastião Pro. O prêmio para os campeões regionais da World Surf League é a garantia de participação nas principais etapas do WSL Qualifying Series, com status QS 6000 e QS 10000, que são decisivas na disputa pelas dez vagas para o CT. “Estou muito feliz pelo título, mas triste pelo resultado aqui, porque eu estava almejando a vitória nessa etapa”, disse Thiago Camarão. “Mas, estou contente pelo título sul-americano, que é inédito na minha vida e pretendo focar ainda mais nos próximos eventos do Havaí, pois vou com tudo pra lá. Fico um pouco triste porque esse evento era muito importante pelo fato de ser em casa, em frente da torcida, família, é onde eu mais treino, conheço bem a onda e tenho apoio da torcida também. Acabei perdendo a bateria, mas ganhei o título sul-americano, então só posso sair daqui feliz por isso, claro”.

Medina aclamado pela torcida nas baterias: agora o foco é o mundial (Foto: Gustave Gama/Radar Litoral)

 



Últimas Notícias