Fotos: Cláudio Gomes/PMC

Baleia morta que encalhou no Aruan é enterrada na praia


Postado em: 26/10/2017

A Baleia jubarte morta encontrada na manhã desta quinta-feira (26), encalhada na Praia do Aruan, próximo à ponte sobre o Rio Lagoa, em Caraguatatuba, foi enterrada no local, em uma ação conjunta da Prefeitura e Instituto Argonauta.

Trata-se do mesmo animal que apareceu boiando em 8 de outubro na região da Praia da Caçandoca.  Naquela oportunidade, o corpo da baleia foi rebocado até a Ilha do Mar Virado, nas proximidades da Praia da Tabatinga. “Lá fizemos o seu fundeamento para que não fosse arrastado pela força da maré", afirmou o oceanógrafo Hugo Gallo, presidente do Instituto Argonauta.

Segundo ele, “teremos que reavaliar a técnica da ancoragem, pois em caso de mau tempo como o que tivemos nesta madrugada, percebemos que temos que distanciar o animal para alguns metros da costa”.

A principal hipótese é de que os cabos tenham sido rompidos por conta do mau tempo, friccionando os mesmos contra as pedras.

Em sua opinião, o enterro é a melhor providência a ser tomada no caso dessa baleia, levando em consideração o avançado estágio de putrefação do animal.

Participaram da ação as Secretarias de Serviços Públicos (Sesep) e Meio Ambiente, Agricultura e Pesca (Smaap), que seguiram orientações prestadas pelo Instituto Argonauta para fazer o enterro do animal. Além disso, a Secretaria de Trânsito, Segurança e Defesa Civil coordenou a circulação de veículos e pedestres próximos ao local.

O enterro

A Sesep levou à praia do Aruan uma pá carregadeira e uma escavadeira hidráulica, além de uma equipe de seis funcionários, que foram orientados a abrir uma cova com quatro metros de profundidade, 15 metros de comprimento e sete de largura. Foi necessário rolar o corpo do animal até a cova, que foi coberta com a areia que já tinha resquícios do animal.

Hugo Gallo acredita que o forte odor do corpo em putrefação ainda será sentido por aproximadamente dois dias. "Depois, a tendência é desaparecer".



Últimas Notícias