Instituto Argonauta/Divulgação

Instituto Argonauta resgata Golfinho na Praia da Vermelha do Norte em Ubatuba


Postado em: 11/10/2017

Equipe do Instituto Argonauta realizava na tarde de segunda-feira (9/10) a instalação de placas informativas sobre o trabalho desenvolvido no Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), quando um dos monitores foi notificado por um surfista de que havia um animal boiando próximo a praia. O homem desconfiava ser um Golfinho.

Os técnicos imediatamente se deslocaram até a praia e puderam confirmar a versão do surfista. O Golfinho da espécie Steno bredanensis estava aparentemente debilitado e não conseguia ultrapassar a zona de arrebentação. “A princípio não acreditei que ele fosse encalhar, mas logo percebi que ele erguia muito o rostro (bico) em busca de ar, e com as ondas na zona de arrebentação, iria acabar aspirando água”, relata Danilo Camba, biólogo e gerente operacional do Instituto, responsável por remover o animal da água com o auxílio de um longboard.

Parte da equipe foi deslocada até o local onde começou o processo de resgate do animal. Primeiramente foi realizada uma tentativa de devolvê-lo ao ambiente natural, porém, sem sucesso. Depois de coletar amostras de material biológico, a equipe se direcionou até a região da Barra Seca para tentar reinserir o animal. 

Infelizmente, ele não correspondeu e então foi preciso recorrer ao tratamento. A operação durou cerca de quatro horas até que ele finalmente chegasse à base de reabilitação do Instituto. Segundo o veterinário Pedro Sorriso, o estado do animal está estável. “Ele continua estável e com a frequência respiratória normal. Por volta das 21h apresentou uma melhora significativa”, reportou Pedro.

“Já por volta das 22h ele teve uma recaída, deu sinais de arqueamento e quase entrou em choque, sendo necessário aplicação medicamentosa. Por volta das 22h30, ele estabilizou novamente, e deu sinais de melhora. Nesse momento está nadando pelo tanque sem o nosso auxílio”. Continuou o veterinário. Durante o resgate, o time contou com a colaboração de turistas e moradores, que sensibilizados tentaram ajudar de todas as maneiras. “É muito delicada a recuperação de um Golfinho. São animais muito sensíveis e quando chegam à praia é porque realmente algo está errado. Agora estamos trabalhando incansavelmente para descobrir o que levou esse animal a encalhar e se ele se recuperar poderemos reinseri-lo no mar para que conclua seu ciclo de vida,” diz Hugo Gallo, oceanógrafo e presidente do Instituto.

Durante o trajeto da Barra Seca até a Base de Reabilitação do Instituto, localizada no Caizão, a equipe contou com a escolta da Polícia Rodoviária Federal, fazendo com que todos chegassem em segurança e de forma ágil até o destino. O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Pólo Pré-Sal da Bacia de Santos. O projeto é conduzido pelo Ibama, coordenado pela UNIVALI e executado pelo Instituto Argonauta no Litoral Norte do Estado de SP.



Últimas Notícias