Frank Constâncio

Portuários de São Sebastião realizam manifesto nesta segunda contra eventual privatização da Companhia Docas



Postado em: 30/07/2017


Em manifesto contra a intenção de privatização da Companhia Docas de São Sebastião (CDSS), trabalhadores portuários locais sairão em passeata nesta segunda-feira (31/7), a partir das 17h. Conforme o coordenador do protesto, Agnaldo Rodrigues da Silva, representante do Sindaport (Sindicato dos Empregados na Administração Portuária), em Santos e São Sebastião, a privatização da CDSS implica na perda de mais de 100 empregos de funcionários concursados, além dos trabalhadores avulsos (estivadores, arrumadores, conferentes, vigias de embarcação e consertadores).

Conforme explicou, o Governo Federal iniciou estudos para privatização de Companhias Docas pelo país e a de São Sebastião seria uma delas. Silva ressalta que os trabalhadores também discordam destas tratativas porque, além do contingente de demissões, o Porto de São Sebastião em poder do capital estrangeiro, o que seria a tendência, não será desenvolvido dentro das expectativas de um porto sustentável em termos sociais e ecológicos. “Nós, trabalhadores, defendemos o Porto de São Sebastião moderno, sob a ótica do desenvolvimento sustentável, contribuindo para o crescimento social, econômico e turístico de nossa região”.
Em 4 de julho, audiência pública na Câmara dos Deputados em Brasília, reuniu representantes de empresas que operam terminais privados e privatizados. Eles discutiram “O futuro das Companhias Docas”, tema defendido pela maioria dos presentes como solução econômica.
 
A passeata em São Sebastião prevê a participação de 100 trabalhadores.  A concentração será no portão principal do Porto de São Sebastião, às 17h, rumo a ruas do centro histórico da cidade. Eles estarão munidos de faixas e boletim informativo com o objetivo de chamar a atenção da sociedade e pedir sua adesão contra a privatização da CDSS.
 
Audiência Pública - Conforme Agnaldo Silva, também está prevista audiência pública em São Sebastião sobre a pauta da privatização. Esta audiência será das federações sindicais de todo o país, que reúnem cerca de 400 sindicatos. Data e endereço deste evento serão definidos. Entre dias 9 e 10 de agosto está prevista greve dos portuários de São Sebastião que discutem acordo coletivo de trabalho.
 



Últimas Notícias