Ricardo Faustino/PMSS

Defesa Civil de São Sebastião recebeu mais de 500 chamados desde o início do ano



Postado em: 09/03/2016


A Coordenadoria da Defesa Civil em São Sebastião informa que o órgão já recebeu, neste ano, mais de 500 chamados para atender ocorrências em todo o município. O anúncio ocorreu na noite da última sexta-feira (4), durante reunião promovida pelo Conseg (Conselho de Segurança) da Costa Sul, em Juquehy.

Os atendimentos estão ligados a captura de animais peçonhentos, deslizamentos de terra, vistorias em árvores com risco de queda, remoção de espécies que caíram em decorrência de ventos, resgate de moradores em áreas inundadas ou em costeiras, entre outras ações.

A participação do órgão teve por objetivo o esclarecimento de questionamentos recebidos pela diretoria do Conselho.

Segundo o coordenador da equipe, Carlos Eduardo dos Santos, o Carlão, a média esperada pelo PPDC (Plano Preventivo de Defesa Civil) entre os meses de dezembro a março era de pouco mais de 400 milímetros. Entretanto, o índice pluviométrico acumulado já ultrapassa os 520 mm, sendo que entre os dias 28 e 29 de fevereiro foram 218 milímetros em sete horas e meia. "Só nos primeiros dias de março foram mais de 100 chamados. É uma situação preocupante", afirmou Carlão.

Ele revelou que a Defesa Civil atua com 20 agentes, sendo 11 lotados na Costa Sul e nove nas áreas central e Costa Norte, além de voluntários. A principal ação da equipe é a prevenção e o monitoramento das áreas de risco existentes no município, que chegam a um total de 22 locais.

Morro do Esquimó

O agente falou, inclusive, sobre algumas áreas. Uma delas fica no Morro do Esquimó, em Juquehy, onde pode acontecer deslizamento devido a uma grande fissura no alto do morro. Toda vez que chove o solo se movimenta e desce em direção à pista da rodovia Rio-Santos, que já apresenta buracos em trechos do acostamento.

Outro lugar de risco fica no Morro do Abrigo, área central do município. Situação parecida ocorre no trecho de serra entre Boiçucanga e Maresias devido à infiltração de água por baixo da pista. "Já enviamos vários relatórios ao DER – Departamento de Estradas de Rodagem – para adotar as devidas providências, mas até o momento nada foi executado nesses pontos", falou. 

Um novo lugar apresentado pelo coordenador envolve o oleoduto da Petrobras, que corta toda a Costa Sul. O caso ocorreu na Praia Preta de Juquehy em função de um deslizamento de terra na semana passada. O incidente, segundo Carlão, afetou a tubulação. "Assim que observamos o fato, solicitamos uma inspeção à estatal para verificar o grau de risco. O serviço já foi iniciado pela empresa", declarou.

O chefe da equipe frisou, ainda, que muitas situações são provocadas por parte dos próprios moradores. É o caso, por exemplo, da área em que aconteceu deslizamento de terra que soterrou um casal, em Boiçucanga. Nesta segunda-feira (7), agentes em vistoria perceberam que existe uma mangueira jogando água no local. "Isso pode causar novos desmoronamentos. É preciso que a população colabore", enfatizou Carlão.

Sobrevoo

Desde o fim do mês de fevereiro e início de março, mais de 29 feições de deslizamentos foram observadas entre Barra do Una e Boiçucanga. Um sobrevoo de helicóptero, inclusive, foi solicitado à Coordenadoria Estadual da Defesa Civil pela equipe sebastianense para verificar a situação de área. O voo ocorreu na semana passada. Além disso, técnicos do IG (Instituto Geológico) realizaram vistorias nos locais e apontaram recomendações para evitar novos incidentes.

Durante o encontro, a Defesa Civil também esclareceu dúvidas dos participantes com relação a alguns assuntos decorrentes das chuvas.

O presidente do Conseg, Eduardo Nunes, agradeceu a presença do coordenador e disse que todos os questionamentos foram elucidados. Ao final da reunião, ele leu um manifesto de agradecimento a toda equipe do município. "Estamos acompanhando, em alguns casos pessoalmente, o trabalho realizado por esta equipe. Não fosse o empenho e todo o esforço pessoal dos agentes, noite e dia, no auxílio aos moradores da Costa Sul devido as fortes chuvas que causaram vários deslizamentos em áreas de risco, com certeza, os problemas seriam muito maiores", salientou Nunes. "Necessário se faz o justo reconhecimento desta equipe que, independente das deficiências e falta de estrutura adequada, não mede esforço para ajudar quem dela necessita", completou.

O encontro contou com a participação do secretário de Segurança Urbana, Marcos Jorge dos Santos, além do delegado seccional Múcio Alvarenga; do delegado titular do 2º DP, Alexandre Bertolini; do tenente PM Gonsales; de dirigentes de associações amigos de bairro; de um representante do Conselho Tutelar e da comunidade em geral.

A próxima reunião ocorrerá na Vila Sahy, com a presença de representantes da Sabesp, Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil e autoridades militares.



Últimas Notícias