Ernane pede recursos a Alckmin para novas pontes e prevê 40 dias para recuperação das ruas atingidas pelas chuvas



Postado em: 02/03/2016


O prefeito de São Sebastião, Ernane Primazzi, encaminhou ofício ao governador Geraldo Alckmin, solicitando recursos para a reconstrução de três pontes destruídas na Costa Sul devido ás fortes chuvas. O ofício foi mostrado durante entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (02), em seu gabinete.

Ernane disse que durante conversa por telefone com Alckmin, que se mostrou solidário com o Município, pediu a liberação de recursos para a reconstrução da ponte de Barra do Una e outras duas em Maresias - na Rua Nova Iguaçu e na Avenida Copacabana. Os recursos estimados para a construção das três pontes é de cerca de R$ 6 milhões.

Ofício com teor semelhante também foi encaminhado ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab.

O prefeito fez um balanço das ocorrências registradas a partir das fortes chuvas que se iniciaram na noite de domingo (28), que chegou a 243 mm, que corresponde ao esperado para três meses.

Além da morte de um casal na Vila Tropicanga e das três pontes destruídas, houve avarias na Escola Municipal Nair Ribeiro de Almeida, em Juquehy, que teve oito salas interditadas, e problemas nos leitos carroçáveis das ruas.

Com relação à escola, Ernane afirmou que a Queiroz Galvão vai auxiliar e enviar um técnico especializado para definir o que será feito. “A escola foi construída em um local inadequado, perto da encosta. A avaliação vai definir se o prédio será reformado ou demolido”. Em curto prazo, de acordo com o prefeito, a solução deve ser a transferência dos alunos para contêineres adaptados. São 300 no período matutino e 300 no vespertino.

Volta à normalidade

A Prefeitura espera concluir os serviços de recuperação dos locais mais afetados dentro de 40 dias, caso as condições climáticas melhorem, com exceção dos casos das pontes e da escola. Empresas que trabalham no município prometeram colaborar com os trabalhos desenvolvidos pelas secretarias municipais, como é o caso da Queiroz Galvão, a pedido do próprio governador.

O levantamento apresentado pelo prefeito aponta que das 26 famílias desalojadas, três continuam em abrigo disponibilizado pela Prefeitura. A Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Humano (Setradh) atendeu 70 pessoas vítimas da enchente. A Defesa Civil do Estado também prometeu enviar kits de higiene e limpeza, 100 cestas básicas e colchões.

Com relação às rodovias que cortam o Município, que são de responsabilidade do DER, Ernane disse que o órgão não se posicionou, mas acredita que há riscos de novos desmoronamentos, devido à instabilidade das encostas e os riscos de mais chuva.

Sobre a possibilidade da retirada de moradores das áreas de risco, o prefeito disse que há um projeto grande em parceria com o Governo do Estado que ainda não saiu do papel. “Nós alteramos a lei de zoneamento para facilitar a desapropriação de uma área em Camburi pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano), mas até agora nada foi feito. No local, a proposta prevê a construção de cerca de 500 unidades habitacionais”.

Sobre os alagamentos que têm ocorrido com frequência na Costa Sul, o prefeito atribui a mudanças climáticas. “Estas altas concentrações de chuvas localizadas vêm ocorrendo nos últimos cinco anos”.

Ainda as pontes

Ernane explicou ainda a demora no repasse das verbas estaduais para reconstrução de pontes e passarelas destruídas nas chuvas de 2013. Na época o governador Geraldo Alckmin, visitou a Costa Sul e prometeu a liberação de R$ 1,9 milhão, mas até agora foram liberados somente R$ 420 mil. “Os projetos foram feitos rapidamente, pois se tratava de uma emergência e a Defesa Civil do Estado devolve para fazer alterações”.

O prefeito cobrou mais agilidade para contratação e execução do projeto, que se trata de situação emergencial.



Últimas Notícias