PMI

'Operação Assistida' do Aquabus registra 1,5 mil passageiros durante fim de semana em Ilhabela



Postado em: 20/05/2024


A 'Operação Assistida' do Aquabus realizada no último fim de semana registrou 1,5 mil passageiros, entre turistas e moradores. O novo sistema de transporte aquaviário não teve cobrança de tarifa. "Estou muito feliz em ver este projeto finalmente sair do papel e se tornar uma realidade em nossa cidade. Sem dúvidas, é um marco histórico para Ilhabela e irá melhorar significativamente a vida das pessoas", destacou o prefeito Toninho Colucci.  



Entre os passageiros que testaram o Aquabus estava Daniel Correa, morador do bairro Perequê há pouco mais de um ano. Cadeirante, Daniel elogiou a acessibilidade do novo sistema. "A viagem que acabo de realizar foi extraordinária e confirma que este sistema está totalmente adaptado para pessoas com deficiência. Ilhabela está realmente preparada para atender às necessidades de todos os seus moradores", afirmou.

Segundo a prefeitura, o Aquabus foi projetado para ser inclusivo, atendendo pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. As embarcações têm capacidade para aproximadamente 60 passageiros sentados e são equipadas com ar-condicionado e TVs de tela plana, proporcionando conforto durante a viagem. Além disso, os veículos aquáticos possuem motores modernos e sistema de GPS para navegação precisa e segura.

O valor da passagem do Aquabus será equivalente ao do transporte urbano terrestre. A Prefeitura de Ilhabela planeja integrar o novo sistema aquaviário com o serviço de ônibus da cidade, por meio do Bilhete Único, facilitando a mobilidade e promovendo uma rede de transporte público mais eficiente. “Com o sucesso da operação assistida, a expectativa é que o Aquabus se torne um elemento central no dia a dia de Ilhabela, oferecendo uma alternativa prática, sustentável e confortável para os deslocamentos na cidade”, finalizou Colucci. A prefeitura não divulgou quando o Aquabus entra efetivamente em operação. 

A história do Aquabus

Compradas pela Prefeitura de Ilhabela em 2015 - penúltimo ano da segunda gestão do prefeito Toninho Colucci - por R$ 4,5 milhões, as três embarcações nunca entraram em operação. Um dos motivos era a necessidade de adaptação dos píeres para o embarque dos passageiros. 

Em 2019, o então prefeito Márcio Tenório sugeriu a cessão das embarcações à Dersa, o que não ocorreu. Posteriormente, ao assumir o governo, a ex-prefeita Gracinha Ferreira anunciou a realização de um estudo de viabilidade e um possível leilão, o que também não aconteceu. 

A marina onde as três embarcações estavam atracadas no Rio Juqueriquerê, em Caraguatatuba, entrou na justiça contra a prefeitura. Em 2022, já na terceira gestão do prefeito Toninho Colucci, um acordo com redução de 50% do valor solicitado pela marina foi anunciado, permitindo a manutenção e recuperação dos equipamento. 



Últimas Notícias