Instituto Verdescola promove ações para saúde mental e emocional de crianças e adolescentes



Postado em: 29/09/2023


Há oito anos, o mês de setembro recebe a cor amarela e a missão de conscientizar a população quanto à importância da saúde mental. No Instituto Verdescola, promover o bem-estar de crianças e adolescentes é um processo constante e estratégico, pensado por uma equipe multiprofissional, com psicólogos, assistentes sociais e educadores sociais que se dedicam ao atendimento de todos os assistidos e suas famílias.

Um dos principais focos do trabalho realizado no Instituto é garantir uma visão integral da criança e do adolescente para que ele possa se desenvolver em todas suas potencialidades. “Dessa forma, conseguimos detectar a necessidade individual e auxiliá-los com ferramentas para que cada um consiga, a seu modo, enfrentar os desafios para alcançar o bem-estar e ampliar a forma como se enxergam no mundo”, explica Paula Temperini, gerente psicossocial do Instituto Verdescola.

Uma das ações adotadas neste mês de conscientização foi estender para a família uma prática realizada semanalmente com crianças de 4 e 5 anos: a ioga e o mindfulness, uma prática de meditação que foca na atenção plena. “Promovemos um aulão na quinta-feira (21) e as crianças mostraram aos pais o que aprenderam ao longo do ano na oficina de ioga. Foi super bacana. Vários pais vieram conversar comigo depois da prática. Alguns reportaram que os filhos já levavam a Ioga para dentro de casa, ensinavam a postura da árvore e do guerreiro. Eles adoraram”, conta Dudu Toledo, instrutor de ioga do Verdescola.

A prática tem sido adotada no Instituto Verdescola para direcionar a atenção e melhorar a qualidade de vida das crianças ao longo do ano, promovendo mais atenção e foco, aumento da memória, autoaceitação, habilidades de autogestão e autocompreensão. Para a gerente psicossocial, a ioga é uma ferramenta poderosa de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

Para o Instituto Verdescola, o respeito e a empatia formam a base da educação cidadã. Para isso, adota atividades rotineiras, adequadas às faixas etárias, que estimulam a capacidade de se colocar no lugar do outro e que ensinem mecanismos que fomentem a confiança, a cooperação e o fortalecimento de vínculos. A exemplo disso, durante duas semanas, crianças e adolescentes das oficinas socioeducativas da ONG, caminharam de mãos dadas, em duplas, um dos integrantes vendado e sendo conduzido pelo colega. “Com essa atividade, promovemos um ambiente propício para o enfrentamento dos próprios limites, a percepção da necessidade de se ter em quem confiar e de ser ouvido. No Verdescola, todo momento é momento de se ouvir. Temos um olhar muito grande para a aprendizagem socioemocional, para desenvolver habilidades de autorregulação”, explica Paula.

Para os participantes, a experiência trouxe muitos aprendizados. A jovem Ana Laura Santos Nunes, de 14 anos, contou que se sentiu segura durante a ação. “Quando eu estava vendada, fiquei com medo, mas meu colega me deu muita segurança. No final da atividade, nos entregaram uma caixa dizendo que ali dentro havia algo muito valioso para o Verdescola. Quando abri a caixa vi um espelho. Abri um sorrisão e me senti muito feliz. Eu estava meio pra baixo naquele dia, então me animou muito”, relatou. “É fundamental a promoção de ecossistemas de aprendizagem ao longo da vida que atendam efetivamente às necessidades de todos, a começar pelo bem-estar emocional. Só há a transformação de uma sociedade quando existe a transformação individual. Precisamos construir ambientes que favoreçam o desenvolvimento contínuo e que alcancem o entorno”, revela Raquel de Oliveira, diretora-geral do Instituto Verdescola.



Últimas Notícias