Dersa limita caminhões até 10t e promete ponte de embarque na sexta; Políticos cobram do Estado melhorias urgentes na travessia



Postado em: 11/11/2015


 

Em nota oficial enviada à imprensa na noite de terça-feira (10/11), a Dersa – Desenvolvimento Rodoviário S/A informou que “investe todos os esforços para agilizar a recuperação da ponte do lado de São Sebastião. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos até sexta-feira, 13 de novembro”. Parte da ponte de madeira do terminal de embarque da travessia São Sebastião-Ilhabela não resistiu à passagem de um caminhão na segunda-feira (9/11) e desabou. A Dersa limitou a passagem de caminhões de até 10 toneladas. Segundo o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, não há risco de desabastecimento, já que caminhões menores estão autorizado. 

Ainda na nota oficial enviada nesta terça, a Dersa relata que “é importante ressaltar que a passagem de caminhões pela Travessia São Sebastião/Ilhabela não está proibida, desde que os veículos respeitem o limite máximo de peso, que é de 10 toneladas (somando-se o peso do próprio veículo e o peso da carga). Mesmo não existindo balança para a pesagem oficial dos caminhões que ali trafegam, funcionários estão analisando cuidadosamente os veículos que irão atravessar para Ilhabela, tendo como base a nota fiscal da carga e o comprimento e a altura dos volumes transportados nos caminhões, o que permite estimar o peso total”. A companhia informou também que estuda adotar novos mecanismos para a verificação do peso dos caminhões antes do embarque, e mantém diálogo permanente com os caminhoneiros e empresas que atuam na região, agradecendo a colaboração de todos.

Com a limitação, moradores temem "desabastecimento" na Ilha, especialmente, quanto à entrega de combustíveis e alimentos. Todo o lixo coletado em Ilhabela também é levado para aterro sanitário no Vale do Paraíba e o serviço acaba prejudicado em razão do peso das carretas. 

Problemas antigos

No mês passado, o Radar Litoral publicou uma matéria especial, na qual durante um mês ouviu usuários do sistema de travessia de balsas, que apontaram os principais problemas do serviço prestado pela Dersa. Entre as principais queixas dos usuários estavam: a instalação de “catracas” para contagem de pedestres e ciclistas, especialmente aquelas colocadas no desembarque; retirada de bancos de algumas embarcações; descumprimento de horários e o “calor” no terminal localizado em São Sebastião. Na ocasião, a Dersa relatou que “lamenta eventuais transtornos que podem ocorrer no dia a dia de uma operação complexa como a das Travessias Litorâneas e informa que a São Sebastião/Ilhabela é uma das que mais têm recebido investimentos do Governo do Estado de São Paulo, principalmente nos últimos três anos, período em que foi possível aumentar a capacidade operacional do sistema em mais de 80%”.

 

Prefeito se reúne com diretor de Operações, afirma que situação foi alertada e pede “Força-Tarefa”

Ainda na noite de segunda-feira, o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, acompanhado do presidente da Câmara, Adilton Ribeiro, recebeu em seu gabinete o diretor de Operações da Dersa, Nilson Baroni, para tratar dos problemas da travessia de balsas. “Ele tomou conhecimento de todos os problemas, a situação das rampas de acesso aos terminais e das condições das balsas. Estamos preocupados com a operação, lembrando que estamos próximos a mais uma temporada de verão. Pedimos uma força-tarefa para a manutenção das balsas”, destacou o prefeito.

Prefeito Toninho Colucci e o presidente da Câmara, Adilton Ribeiro, com o diretor de Operações da Dersa, Nilson Baroni 

Em entrevista ao portal Radar Litoral na noite de segunda-feira, após o desabamento da ponte, o prefeito Toninho Colucci se mostrou indignado com a situação. “Há meses temos alertado sobre os problemas estruturais da travessia de balsa São Sebastião-Ilhabela e hoje a cidade foi prejudicada com este problema na ponte do terminal de embarque, o que causou enormes prejuízos", declarou Colucci. 

O prefeito disse que "a situação precária do sistema de travessia vem sendo alertada há meses" tanto para diretores da Dersa quanto ao próprio governador do Estado, Geraldo Alckmin. Colucci encaminhou ao Radar Litoral os ofícios enviados ao Governador do Estado, ao Secretário dos Transportes, Duarte Nogueira, e ao Diretor Presidente da Dersa, Laurence Casagrande, nos meses de agosto e setembro relatando à situação. Neles, o prefeito relatou os investimentos em reurbanização feitos pela Prefeitura na entrada da cidade na ordem de R$ 10 milhões afim de receber os "novos atracadouros". Ele citou que em reuniões realizadas desde 2010 estavam previstos os investimentos do Estado na construção do novo sistema de atracação, bem como reparos nas balsas FB-25 e Valda II afim que retornassem na temporada, medidas que não foram cumpridas.

Precariedade do serviço é discutida na Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa

O 2º secretário da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Edmir Chedid (DEM), solicitou na terça-feira (10/11) para a Secretaria de Logística e Transportes urgência na recuperação da ponte de madeira que desabou no terminal de embarque da travessia São Sebastião - Ilhabela. Os problemas de falta de manutenção do terminal de embarque foram tratados pelo parlamentar na Comissão de Transportes e Comunicações (CTC), “Não podemos aceitar que este tipo de incidente cause prejuízos e a interdição do acesso de caminhões acima de cinco toneladas, como determinada pela Dersa”, disse.

Chedid fez críticas fundamentadas em documentos apresentados pela Prefeitura de Ilhabela. “Como se já não bastasse o desabamento, o município agora terá que racionar seus produtos diante da proibição de acesso de caminhões no município. Se esta determinação não for revista, Ilhabela poderá ficar sem combustíveis ou dinheiro nos caixas eletrônicos”, complementou.

Na comissão, o deputado lembrou ainda que, segundo informações do prefeito de Ilhabela, todos os problemas no local já haviam sido devidamente relatados ao governo do Estado. “O prefeito me garantiu que a situação precária desse sistema de travessia tinha sido alertada meses atrás tanto para os diretores da Dersa quanto ao governador Geraldo Alckmin. Mas, precisamos ter um incidente para que as medidas começassem a ser adotadas”.

Na reunião da Comissão de Transportes e Comunicações, Edmir Chedid também destacou que, com base no documento enviado pelo prefeito da Ilha, há uma relação com todos os problemas identificados. “A própria administração municipal garantiu ter investido R$ 10 milhões num projeto de reurbanização a fim de atender os atracadouros, que deveriam contar com uma contrapartida do Estado”.



Últimas Notícias