Radar Litoral

No Litoral Norte, gasolina comum chega a ser vendida por até R$ 5,44 o litro



Postado em: 22/02/2021


O Radar Litoral publicou na última quinta-feira (18/2) reportagem sobre o quarto aumento de preço da gasolina e do diesel no ano, que entrou em vigor na sexta (19/2). Com isso, desde o último fim de semana, no Litoral Norte não se encontra gasolina por menos de R$ 5. Nesta segunda (22/2), grande parte dos postos entre Caraguatatuba e a região central de São Sebastião comercializava o combustível a R$ 4,999. Contudo, em algumas redes, o litro da gasolina comum chega a ser vendido a R$ 5,449 (foto).

Até a semana passada, o preço variava entre R$ 4,79 e R$ 4,89. Desde o início de janeiro, a gasolina já estava 5,8% mais cara nos postos. Na Costa Sul de São Sebastião, a gasolina comum é vendida nesta segunda-feira a R$ 5,24. 

A Petrobras divulgou nota em que afirma que a medida "é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras". Os preços internacionais do petróleo atingiram os maiores níveis desde janeiro de 2020.

Contudo, o aumento dos combustíveis reflete não somente para quem possui veículo, mas em todos os setores, já que a maior parte da produção nacional é escoada por via terrestre. No site da Petrobras, a empresa aponta que o valor pago pelo consumidor final não está sob gestão da empresa e é composto por quatro fatores: preços do produtor ou importador de gasolina; carga tributária, custo do etanol obrigatório e margens da distribuição e revenda.

Nesta segunda (22/2), o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar sobre mudança na tributação dos combustíveis. Segundo Bolsonaro, é possível reduzir em 10% o valor na bomba com alteração no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). “O que acontece com os impostos. Eles são bitributados. O ICMS, por exemplo, incide não só em cima do preço do combustível na refinaria, bem como em cima da margem de lucro dos postos, dos ganhos das transportadoras, bem como em cima de PIS/Cofins. Incide em cima do próprio ICMS. Então, só de jogar em cima disso aí, no mínimo 10% reduz o preço do combustível no final da linha", afirmou o presidente em frente ao Alvorada. "A ANP tem a missão de controlar a qualidade do combustível. Do nosso lado, o Inmetro [cuida] é o volume. A questão das notas fiscais, a bitributação é a Receita. No fundo, ninguém fazia nada. E eu tenho que descobrir sozinho isso? Então, a gente vai mudar. Mudança tem no governo sempre que se fizer necessário", afirmou.

Posto com gasolina comum a R$ 4,999 nesta segunda-feira (22/2) em São Sebastião



Últimas Notícias