Colucci critica Dória por Fase Vermelha: “o governador esqueceu a região e o HR é o maior exemplo disso”



Postado em: 01/02/2021


Em entrevista ao Jornal da Morada (Rádio Morada 95,5), na manhã desta segunda-feira (1/2), o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci (PL), subiu o tom em relação ao governador João Dória (PSDB) e a classificação da região no Plano São Paulo. “A gente se frustrou demais, a realidade é que governador não conhece o litoral, pouco vem pra cá. Sugeri isso ao Ministério Público. A gente aí com esse Hospital Regional (HR) há mais de ano pronto e o governador não tem coragem de visitar e colocar pra funcionar. Se estivesse funcionando, toda a região teria outra classificação. Diversos pacientes continuam subindo pro regional de São José e de Taubaté. Aqui só algumas UTIs pra enganar o povo. O grande responsável é a atuação do governador, que esqueceu a região, abandonou obras do contorno, a obra da Tamoios vai a passos de tartaruga, e o hospital regional é o maior exemplo disso”.

Colucci falou sobre a flexibilização feita em Ilhabela na última sexta-feira para poucos segmentos. “Estamos conversando com o Ministério Público, nosso pedido era muito maior, envolvia restaurantes, quiosques e outros comércios. O MP acordou conosco a abertura de depósitos de tintas, ferragens, jardinagens, lava-rápidos, escritórios de advocacias e óticas. Vamos insistir de novo nesta semana. Não tem como fazer unilateralmente, mas temos que entender e respeitar o judiciário”, informou o prefeito de Ilhabela. “O governador Dória não tem o real conhecimento da situação do povo brasileiro. A gente tá sofrendo porque ele tem o poder muito maior do que qualquer prefeito”, completou Toninho Colucci.

Sobre uma possível união dos prefeitos do Litoral Norte, presidentes de Câmaras e de Associação Comercial, Toninho Colucci enfatizou a dificuldade de serem recebidos pelo governador. “A arrogância do Governo do Estado nos impede de fazer isso. Ele sequer recebe os prefeitos daqui. Hoje o jogo dele é aparecer pro Brasil inteiro, está em campanha pra próxima eleição. Não está preocupado com os paulista, especialmente do Litoral Norte. Quando ele vai para o litoral, ele vai pra Angra (RJ), vai pra Paraty (RJ), vai pra Bahia, não vem para o Litoral Norte. Esse é o jogo do atual governador, espalhando placas do Brasil inteiro, com V da vitória, V da Vacina”, declarou Toninho Colucci em entrevista à rádio.

Ele citou como exemplo as condições da Rodovia Manoel Hyppolito do Rego. “A SP-55 da Enseada até Caraguá, nunca colocou a Mercedes dele nestes buracos. Quando vem, vem de helicóptero”, criticou.

Colucci salientou a gravidade da pandemia, mas citou ações implementadas nas rede de saúde do município, como visitas aos pacientes e o uso do oxímetro. “Trabalho intenso no tratamento das pessoas. Quem for sair de casa, use a máscara, lave a mão com água e sabão ou use o álcool em gel. Estamos vacinando os profissionais de saúde, nos próximos dias os idosos. Enfrentando com trabalho e coragem este vírus”.

Em relação a volta às aulas, Toninho Colucci salientou que 40% dos alunos se evadiram da escola desde o início da pandemia. “A educação pública de Ilhabela ficou fechada, mesmo as escolas particulares tendo voltado em setembro. Essas três primeiras semanas são focadas nos alunos que estavam longe da escola há quase ano. Estão fazendo um reforço. No dia 8 de fevereiro, teremos todos os alunos divididos em turmas, com aulas de segunda a sábado”.

Sobre o fato da Ilha ter movimento intenso no último o fim de semana e grande parte do comércio fechado, Colucci tratou como “incoerência” causada pelo decreto estadual. “Imagina só hotéis, pousadas, casas de aluguel, com a cidade cheia, e o visitante não podendo se alimentar no restaurante. Por isso fizemos a proposta de liberar 30%, com distanciamento. Se tivesse o poder na minha mão, não seria como está sendo. O poder do governador é maior que dos prefeitos”, frisou o prefeito, que explicou que sem o aval da justiça, qualquer mudança feita pelos município está sujeita a multa de R$ 100 mil e os prefeitos processados.

Sobre o primeiro mês no governo, ele fez uma avaliação. “Estamos trabalhando e peço paciência e compreensão da população. Vamos mudar essa realidade, cada gaveta que eu abro pula um vampiro, é impressionante a barbaridade que encontrei. Prédio desapropriado sem consentimento do jurídico, equipamentos sucateados. Falta muito pra colocar a casa em ordem, mas trabalhamos todo dia pra isso”.



Últimas Notícias