Divulgação/PMSS

Começa a vacinação contra Covid-19 no Litoral Norte



Postado em: 21/01/2021


As cidades do Litoral Norte iniciaram na manhã desta quinta-feira (21) a vacinação contra Covid-19 dos profissionais da linha de frente da saúde, idosos que vivem em casas de longa permanência, indígenas e quilombolas. A região recebeu 3.880 doses da vacina coronavac.

Em Caraguatatuba, o início da vacinação ocorreu nas dependências do Ciapi, para onde foi transferida a Secretaria de Saúde desde o início da pandemia. Simbolicamente, foram vacinados cinco profissionais da saúde, um de cada entidade que atua no Município: Santa Casa, Samu, Instituto João Marchesi, Hospital Regional e Hospital Unimed.

O prefeito Aguilar Júnior afirmou que este era um dia histórico para vencer a doença e ter a esperança na vida. “Desde março, os dias foram mais tensos. Agradeço a todos os profissionais da saúde que fizeram a diferença em Caraguatatuba Nosso objetivo desde o início da pandemia foi o de salvar vidas”, afirmou o prefeito.

A iniciativa de vacinar cinco profissionais de saúde de uma vez foi como forma de agradecer a cada um que atua nas unidades hospitalares de Caraguatatuba.

A primeira a receber o imunizante foi a técnica de enfermagem da Casa de Saúde Stella Maris, Neusa Aparecida Barreto Florentino, 61 anos, 33 deles dedicado à profissão.

Ela disseter ficado surpresa e emocionada a ser chamada para receber a dose da vacina, ainda mais porque no dia anterior havia enterrado seu pai, Antonio Pedro Barreto, 92 anos, mais uma vítima da Covid.

A enfermeira Ana Claudia de Oliveira, 53 anos, representou os trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Profissional da saúde há 27 anos, Ana conta que ser uma das primeiras a se vacinar é uma responsabilidade muito grande. “Mas eu aceitei porque estar na linha de frente, sendo mãe de família, também representa um grande risco”. Seu apelo é, principalmente, para que as pessoas tenham consciência e amor ao próximo.

Quem também participou do primeiro grupo da vacina foi a enfermeira do Hospital Santos Dumont (Unimed), Fernanda Aparecida, 38 anos. “Estou super contente porque estava na expectativa. A minha sensação é de esperança e de que dias melhores virão”, disse ela que já teve a doença e apresentou sintomas leves, mas o mal-estar e o desânimo foram bem presentes.

O médico Nicolas Miranda Carvalho, 33 anos, representou o Hospital Regional do Litoral Norte. Ele está há 10 meses na unidade e tem 14 anos de profissão. Para ele, a vacinação chega como uma gota de esperança diante de uma situação bastante difícil para todos. “Nós, funcionários da saúde na linha de frente de todo o Brasil sabemos os risco, mas nenhum baixou a guarda. O medo existe por se tratar de uma condição nova, mas estamos preparados para atender da forma mais segura possível e lidar com as pessoas que estão mais assustadas ainda com essa doença".

A enfermeira e coordenadora de vacinação de Caraguatatuba, Danielle Rodrigues Pinto Siqueira, 46 anos, explicou um pouco sobre a vacina e contou sua experiência enfrentando o coronavírus.

São Sebastião

Em São Sebastião, a vacinação começou pouco antes das 11 horas, no Centro de Especialidades Médicas. Foram vacinados profissionais da saúde, membros da comunidade indígena e idosos do Lar Vicentino.

Presente ao ato, o prefeito Felipe Augusto considerou o dia histórico para o combate à Covid-19. E reforçou que a vacina, neste primeiro momento, é para estes grupos específicos.

 A técnica de Enfermagem Lígia Maria César de Aquino Ramos, de 65 anos, foi a primeira a receber a dose da vacina contra Covid-19 do Butantan. 

Com 48 anos de carreira, Lígia já dedicou 30 à rede municipal de saúde. Nesta primeira fase, serão vacinados primeiramente os profissionais de saúde que atuam na linha de frente no enfrentamento a COVID, além de idosos que residentes em asilos, como  do Lar Vicentino e os indígenas da Aldeia Rio Silveiras. 

Rivaldavio Pereira Costa, de 73 anos, foi o primeiro residente do Lar Vicentino a ser imunizado. O cacique Adolfo Timóteo, de 55 anos, foi o primeiro vacinado da aldeia indígena. 

Ao todo,  23 pessoas foram imunizadas na manhã desta quinta-feira. 

Ilhabela

Em Ilhabela, a vacinação teve início com profissionais do Hospital Mário Covas. O diretor da unidade, Henrique Simões, afirmou que estava feliz por iniciar a imunização pelos profissionais da linha de frente.

A secretária municipal de Saúde, Lúcia Reale Colucci, disse que o momento é de muita emoção. Ela afirmou que vai chegar o momento da vacinação para a população em geral e ressaltou a necessidade do uso de máscara e álcool em gel e o distanciamento social.

A enfermeira Katiane Sirino Soares, da UBS Água Branca, foi a primeira a receber a vacina, em seguida os médicos do hospital Governador Mário Covas Júnior, o clínico, Luís Fernando Minamihara e o infectologista, Leandro Lombo Bernardo. “Momento histórico que traz uma esperança de dias melhores, não só para os profissionais da saúde, mas para toda a população que ansiava pela vacina”, declarou o prefeito Toninho Colucci.

A enfermeira compartilha com todos, sua experiência em ser a “pioneira” na vacinação do arquipélago. “Me sinto muito feliz em ter tomado a primeira dose da vacina, ansiosa pela segunda; orgulhosa e lisonjeada por ter sido escolhida: a primeira cidadã ilhabelense a ser vacinada. Agradeço a Deus e a todos os envolvidos; obrigado pelo carinho e reconhecimento. Estou protegida; o que me dá mais coragem e disposição para trabalhar na saúde, no combate desse mal que assolou e assola o mundo durante esses longos 13 meses”.

O médico Luís Fernando Minamihara, Coordenador da Clínica Médica e do Setor de Internação Respiratória foi o segundo a receber a vacina. “Ser vacinado é uma sensação de alívio, aumenta a nossa segurança, pois estamos enfrentando uma doença mortal e que já nos tirou muitos amigos e colegas de profissão até agora. Sempre tivemos medo de enfrentar esta doença que requer uma proteção maior, além dos nossos cuidados e equipamentos de proteção individual". 

Leandro Lombo Bernardo, médico infectologista foi o terceiro profissional de saúde a ser vacinado. “Gostaria de ressaltar que esta é uma vacina que nos testes demonstrou extrema segurança, com poucos efeitos colaterais e adversos e reduziu formas moderadas e graves da doença. É necessário termos paciência, pois aos poucos as doses serão enviadas ao nosso município e todos os grupos prioritários devem ser vacinados". 

“Precisamos da adesão de toda a população alvo desta campanha, pois a meta vacinal é de pelo menos 90% em cada um dos grupos. A partir daí teremos a quebra da transmissão desta doença. O primeiro grupo serão os profissionais de saúde, sendo priorizados os que estão na linha de frente, mas sem exceção dos demais, seguido pelos idosos, que ainda será divulgado em nota pela Secretaria de Saúde”, informa a enfermeira do Programa Imunização, Simone Fortes.

Ubatuba

A Vigilância de Saúde da Prefeitura de Ubatuba iniciou na tarde desta quinta-feira (21), a última da região a começar a imunização.

Terezinha do Rosário Patrocínio Araújo, de 56 anos, técnica de enfermagem da clínica intermediária da Santa Casa de Ubatuba, moradora da Lagoinha, foi a primeira pessoa do município a receber a vacina . "É uma emoção muito grande participar deste momento histórico e saber que a vacina chegou e daqui a algum tempo vamos poder nos abraçar. É a cura chegando", afirmou Terezinha.

 "Nossos profissionais vêm trabalhando bravamente. Muitos funcionários adoeceram, tivemos uma perda, mas agora estamos com a esperança renovada e felizes com a chegada da vacina", comemorou Luiz Fernando da Cruz, superintendente hospitalar.

"Para nós é um dia de muita esperança no enfrentamento à Covid-19", destacou a prefeita Flávia Pascoal (PL). "Começamos a vacinação na Santa Casa, com os profissionais que estão na linha de frente. Na sequência serão vacinados os funcionários do posto de coleta para exames, do pronto atendimento na Cícero Gomes, do pronto atendimento da Maranduba, indígenas das aldeias, idosos do Lar Vicentino, pessoas com deficiência vivendo em residências inclusivas e também trabalhadores dos cemitérios".

De acordo com números do Governo do Estado, o Litoral Norte recebeu 3.880 doses da vacina, sendo 1.800 doses para Caraguatatuba, 840 para Ubatuba 840, 760 para São Sebastião 480 para Ilhabela.



Últimas Notícias