Divulgação/Sindserv

Servidores da Educação aprovam participação na assembleia popular contra aulas presenciais sem vacina em São Sebastião



Postado em: 20/01/2021


Os servidores da Educação decidiram nesta semana, em Assembleia Geral Extraordinária, realizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv), uma greve geral da categoria, caso as reivindicações não sejam atendidas e as aulas presenciais retornem no início de fevereiro sem vacinação. Os funcionários públicos também aprovaram total apoio e participação na Assembleia Popular convocada pelo Fórum Sindical do Litoral Norte para sexta-feira (22), às 17h, na Praça do Coreto, no Centro, para fortalecer o movimento em prol da segurança e da vida de toda a comunidade escolar.

A Assembleia Popular na próxima sexta-feira reunirá pais de alunos, trabalhadores de diversas categorias, professores, inspetores de alunos e demais áreas que atuam nas unidades escolares. O Sindserv está mobilizando os servidores para participarem deste movimento e fortalecerem a luta contra medidas que podem vir a ampliar o contágio do novo Coronavírus, impactando nos riscos à saúde de toda a população.

A diretoria do Sindserv explica que também foi aprovado que uma comissão de profissionais da Educação junto ao Sindicato solicitará uma reunião com o prefeito e responsáveis pela Seduc (Secretaria de Educação) e Sesau (Secretaria de Saúde) para dialogar sobre os riscos deste retorno, questionar as medidas tomadas com informes das reivindicações e formalizar um termo de alerta e responsabilidade do poder púbico em caso de negligência.

Segundo a presidente do Sindserv, Cristiane Leonello, os professores estão se desdobrando para garantir o ensino remoto e apresentam diversas questões extremamente pertinentes com relação ao risco de uma retomada sem vacinação, sem estrutura adequada e um planejamento específico para cada unidade.

“Até segunda, os profissionais não tinham nem sido informados com relação a procedimentos e como se daria esse retorno. Ficam com a sensação de que vão somente ‘jogar’ todo mundo dentro da escola, que muitas vezes já é superlotada, e ver no que dá. Além dos riscos físicos, ainda geram diversas questões emocionais com relação ao medo, ansiedade, depressão. Esperamos que o prefeito receba e ouça a Comissão e que ele coloque a saúde e a vida em primeiro lugar”, afirma a presidente.

Ainda segundo o Sindicato, é muito importante que os servidores entrem em contato com a entidade sindical e participem das ações para fortalecer a luta da categoria neste momento.



Últimas Notícias