Academias de São Sebastião apresentam plano para flexibilização das atividades com número reduzido de alunos e medidas de segurança



Postado em: 15/05/2020


Os proprietários de academias de São Sebastião encaminharam à Prefeitura uma proposta de flexibilização para retomada gradual das atividades do setor. Para isso, foi entregue um Plano de Biossegurança ao Comitê de Enfrentamento ao Covid-19 do Município.

O objetivo é trabalhar com número reduzido de alunos de até 50 anos de idade, com hora marcada A proposta do Comitê do Covid é de um aluno por aula em espaços de até 100 m² e três alunos para espaços com área acima de 100 m². A proposta das academias é de dois alunos para até 100 m², três em até 200 m² e quatro para áreas superiores.

Também não serão permitidos trabalhos aeróbicos, como atividades em esteiras e bicicletas ergométricas.

 Com o decreto federal que inclui as academias como serviço essencial e, mesmo com o decreto estadual que mantém o segmento fechado, os representantes do setor destacam a importância da retomada das atividades com segurança.

Em São Sebastião, há 51 empreendimentos que englobam academias de musculação, estúdios de musculação, estúdios de treinamento funcional, estúdios de pilates, estúdios de dança, academias de artes marciais, estúdios de yoga, escolas de circo, escolas de natação, academias de surf, equipes de corrida e equipes de triatlo. Essas atividades geram mais de 150 empregos diretos.

O documento cita que estes funcionários podem perder seus empregos e, consequentemente, deixarão de ter uma renda e consumir no comércio local, gerando chamado “efeito dominó”.

O professor Ricardo Schier Heitor, proprietário da Academia Attlas, afirmou que a proposta é reduzir o número de pessoas com o máximo de segurança. “O exercício físico é um agente eficaz no fortalecimento do sistema imunológico e consequentemente um agente de combate a infecções bacterianas e virais”, afirmou.

O grupo espera agora um posicionamento da Prefeitura. Na última quarta-feira (13), durante uma live, o prefeito Felipe Augusto e o médico infectologista Carlos Melo de Capitani apontaram sobre a possibilidade de flexibização do segmento.

Confira mais propostas do Plano de Biossegurança:

- Posicionar na entrada do estabelecimento, um tapete ou pano umedecido com solução composta por 50 ml de cloro ativo a 2% diluído em 1 litro de água;

- Medir com termômetro eletrônico a temperatura dos alunos;

- Atendimentos exclusivamente por hora marcada;

- Manter distância mínima de dois metros entre os alunos durante a prática das atividades propostas;

- Os professores e alunos utilizarão os EPI’s (máscara e luvas) recomendados para impedir a contaminação viral.

 - Disponibilizar álcool 70% para higienização das mãos, para uso dos clientes, funcionários e entregadores, em pontos estratégicos;

- Higienização dos balcões de atendimento, caixas e cestas de acondicionamento de produtos após cada uso, com álcool 70% ou outro sanificante adequado segundo recomendações da ANVISA;

* Reforçar a limpeza de pontos de grande contato, como corrimões, banheiros, maçanetas, terminais de pagamento, caixas eletrônicos, elevadores entre outros;

* Os dispensadores de água que exigem aproximação da boca para ingestão devem ser lacrados em todos os bebedouros, permitindo-se o funcionamento apenas do dispensador de água para copos, também é permitido aos funcionários copos ou canecas não descartáveis, desde que de uso individual;

* Aos locais que possuem sistema de ar condicionado, manter os componentes limpos, de forma a evitar a propagação de agentes nocivos, recomenda-se manter os ambientes ventilados, e com constante higienização dos pisos.



Últimas Notícias