Cláudio Gomes/PMC

Agentes de Saúde de Caraguatatuba recebem tablets do Estado para cadastro de pacientes



Postado em: 13/09/2019


Os agentes comunitários de saúde de Caraguatatuba receberam nesta sexta-feira (13) 80 tablets do Programa Saúde em Ação, do Governo do Estado. A entrega oficial foi feita no auditório do novo Hospital Regional do Litoral Norte.

Os aparelhos fazem parte de um pacote de ações pela informatização da rede de saúde. Os novos equipamentos terão conexão com a internet e serão monitorados. Os agentes vão deixar as fichas de papel para trás, inserindo as informações do usuário no sistema em tempo real.

Com os dados computados, o Estado avalia que terá melhor condição de conhecer seu público, quais as doenças mais frequentes e prevenir epidemias, já que as informações serão lançadas em uma rede que será monitorada na Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Junto dos tablets, também serão entregues produtos desenvolvidos pelo programa com orientações para a governança dos municípios, além de versões impressas das linhas de cuidado estabelecidas pelo programa.

Para Renata Pinheiro de Almeida, gerente de fortalecimento institucional do Programa Saúde em Ação, a iniciativa pioneira vai resultar em um salto na saúde do Estado. “A informatização facilita a comunicação e propicia a integração dos serviços, fazendo com que a articulação entre os profissionais se realize efetivamente”.

O Programa Saúde em Ação é uma parceria da Secretaria de Estado da Saúde com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e irá investir R$ 826 milhões em 71 municípios do estado de São Paulo, destinados à construção e reforma de UBS, CAPS, AME e hospitais.

No Litoral Norte, o programa está investindo R$ 240 milhões em 15 obras, incluindo o novo Hospital Regional, que tem entrega prevista ainda este ano. Do total a ser investido, 70% são provenientes do BID e 30% são de recursos do tesouro do Estado. “Com a reorganização do sistema, teremos uma rede integrada. Nós temos a possibilidade de tratar 85% das pessoas nesses serviços e diminuir as filas nos hospitais”, explica o coordenador do programa, Ricardo Tardelli.

 



Últimas Notícias