Radar Litoral

Greve dos Correios tem adesão das agências no Litoral Norte; empresa afirma que 81% dos funcionários mantêm atendimento



Postado em: 11/09/2019


Funcionários dos Correios em todo o Brasil entraram em greve por tempo indeteminado nesta quarta-feira (11/9). O movimento afeta as agências no Litoral Norte. Os trabalhadores protestam contra o reajuste de 0,8%, abaixo da inflação.

Sindicatos que representam os funcionários dos Correios decidiram pelo movimento na noite de terça-feira (10/9) em assembleias por todo o país. A greve é por tempo indeterminado e todos os serviços dos Correios serão afetados.

Os trabalhadores e a estatal estavam desde julho negociando, com mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), novo acordo coletivo para a categoria. A empresa, no entanto, não aceitou os termos indicados. 

Os funcionários dos Correios publicaram uma "Carta Aberta", divulgada em redes sociais. "Nossa categoria, carteiros (as), atendentes, trabalhadores dos Correios em geral, está em campanha salarial. Queremos continuar a prestação do nosso trabalho com excelência, porém, nem Governo, nem direção da empresa parecem se importar com a continuação dos serviços. Nossa pauta de reivindicação é pautada e construída em cima de dados e números oficiais. Provamos que os Correios tiveram lucro no último período. Trabalhamos sob sol e chuva, quase sem funcionários e sem condições de trabalho. Estivemos dispostos a negociar e tivemos o cuidado de aguardar até as últimas consequências. Esgotamos todos os prazos da Campanha Salarial e hoje estamos descobertos, sem Acordo Coletivo de Trabalho. A empresa não aceitou nem mesmo a proposta do TST que prorrogaria o atual Acordo Coletiv.! O “reajuste” de 0,8% que foi proposto, é tão vergonhoso que sequer cobre a inflação e, ainda, querem fazer maldades como a retirada de direitos e redução dos tickets. Deram às costas a todas trabalhadoras e trabalhadores e, por tabela, aos cidadãos que utilizam os serviços".

Nota oficial

Em nota oficial, a empresa informou que "a paralisação parcial dos empregados dos Correios, iniciada na terça-feira (10/9) pelas representações sindicais da categoria, não afeta os serviços de atendimento da estatal".

Ainda na nota, a empresa salienta que "já colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas"

Segundo os Correios, levantamento parcial realizado na manhã desta quarta-feira (11) mostra que 82% do efetivo total dos Correios no Brasil está trabalhando regularmente.  No interior de São Paulo, 81% dos empregados estão trabalhando normalmente.

Conforme a nota, "os Correios estão executando um plano de saneamento financeiro para garantir sua competitividade e sustentabilidade. Desde o início de julho, a empresa participa de reuniões com os representantes dos empregados, nas quais foram apresentadas a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado, atualmente na ordem de R$ 3 bilhões. As federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa".

 



Últimas Notícias