Diretor do Cebimar de 1995 a 2002, Prof. Dr. José Carlos de Freitas morre aos 79 anos; pesquisador estudou uso de substâncias marinhas para combate ao câncer



Postado em: 07/10/2018


Conhecido principalmente por suas pesquisas com substâncias e toxinas encontradas no mar, o Prof. Dr. José Carlos de Freitas - que foi diretor do Cebimar/USP (Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo) entre 1995 e 2002 - faleceu neste domingo (7/10), em Caraguatatuba, aos 79 anos. Ele lutava há vários anos contra o mal de Alzheimer.

Um de seus estudos mais emblemático abordava o uso de toxinas encontradas em determinadas esponjas do mar para o combate ao câncer. O Cebimar tem sede na praia do Cabelo Gordo, entre a Praia Grande e Barequeçaba, em São Sebastião. Foi lá que o professor José Carlos desenvolveu grande parte de suas pesquisas, inclusive com a toxina do peixe Baiacu, a tetrodotoxina. 

O caiçara recebeu a cadeira de Professor Titular do Departamento de Fisiologia da USP. "Além de parente, eu era um grande admirador do Prof. José Carlos, por ele ter tido uma origem simples de uma família caiçara e ter conseguido chegar a ser prof. Titular da USP com reconhecimento internacional. Além de ter grande contribuição para a biologia marinha e na formação de novos cientistas", disse o primor Fernando Freitas, coordenador pedagógico na ETEC em São Sebastião e professor no Centro Universitário Módulo. 

Em suas últimas entrevistas, professor José Carlos de Freitas alertava para a degradação do mar no Litoral Norte provocada pela poluição, especialmente, pelo lançamento de esgoto. Ele alertava inclusive para o desaparecimento de espécies. 

O corpo do Prof. Dr. José Carlos de Freitas será velado nesta segunda-feira (8/10) no Velório Municipal de São Sebastião, onde o sepultamento está marcado para às 13h30. 

Uma de suas paixões era mostrar o bioma marinho às crianças em idade escolar

 

 



Últimas Notícias