Divulgação/Instituto Butantã

Ubatuba confirma primeiro caso de febre maculosa na região



Postado em: 19/09/2018


A Vigilância em Saúde de Ubatuba recebeu a confirmação de um caso de febre maculosa no município. Trata-se de um paciente que apresentou sintomas da doença em março deste ano, foi tratado e encontra-se bem e trabalhando normalmente. Até o momento, não foi possível definir o local provável de infecção (LPI) uma vez que o paciente trabalha em regiões onde é mais fácil o contato com a bactéria causadora da doença, Rickettsia rickettsii, transmitida pelo carrapato estrela (gênero  Amblyomma).

A febre maculosa é uma doença infecciosa febril. Alguns sintomas são o aparecimento de febre súbita, associada à dor de cabeça, dor nos músculos e articulações, dor abdominal, náuseas e vômitos e perda da força física e do apetite. Se não tratada rapidamente, ela pode evoluir para o óbito entre o 5º e o 15º dia do aparecimento dos sintomas. Não há vacina contra a doença, mas existe tratamento com orientação médica.

Em caso de contato com carrapatos e aparecimento de sintomas da doença nos dias seguintes, a Vigilância orienta o paciente a buscar o serviço de saúde o mais rápido possível. O carrapato estrela é mais frequente em áreas onde há capivaras e equinos (como cavalos, mulas e jegues), mas também ocorre em cães.

As medidas de prevenção incluem:

- evitar andar em áreas com a presença do parasita ou de capivaras como áreas de florestas e próximas a rios ou terrenos baldios com vegetação alta

- buscar o serviço de Vigilância em Saúde para receber orientações sobre como tratar animais domésticos infectados pelo carrapato

- ao retornar de áreas de mata ou com vegetação densa, vistoriar roupas e o corpo cuidadosamente para verificar a presença de carrapatos e efetuar sua remoção sem espremê-los ou esmaga-los.

A Vigilância em Saúde está providenciando a confecção de placas, além de preparar uma ação casa a casa para orientar a população sobre esses cuidados, especialmente em bairros que são também habitat natural de capivaras.  

Cuidados com escorpiões

Outro alerta feito pela Vigilância em Saúde é em relação aos escorpiões, que vêm se multiplicando em diferentes bairros de Ubatuba. Já foram registradas populações desse animal – que é peçonhento, ou seja, inocula veneno ao picar - na Estufa I, Lagoinha e Ipiranguinha, além do Silop. Em 2017, Ubatuba teve quatro acidentes com escorpião e, em 2018, dois casos. Não houve óbitos.

A Vigilância recomenda procurar imediatamente a Santa Casa de Ubatuba em caso de acidentes com escorpiões. Para evita-los, alguns cuidados são importantes como:

- Examinar roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-los

- Manter lençóis, cobertores, cortinas sem contato direto com o chão 

- Usar luvas grossas ao manusear materiais de construção, na limpeza de jardins ou outros materiais que possam servir de abrigo a escorpiões

- Manter cama, sofás e berços afastados da parede.

E para evitar a presença e proliferação de escorpiões, é necessário:

- Manter a tampa dos ralos internos na posição fechada; abrir apenas para limpeza e enquanto estiver em uso
- Colocar telas milimétricas nos ralos na área externa
- Vedar frestas nos muros, paredes e pisos
- Vedar a soleira das portas com rodinho ou rolinhos de areia
- Não acumular entulho ou materiais de construção
- Verificar se os espelhos de luz e pontos de fiação elétrica não apresentam frestas e vãos 
- Manter o ambiente limpo e organizado, acondicionando o lixo em recipientes fechados; manter a limpeza de jardins, sem acúmulo de folhas; providenciar a limpeza e corte do mato em terrenos



Últimas Notícias