Daniela Carvalho



Site: http://encantes.blogspot.com.br/

Daniela Carvalho, autora do Blog Encantes, é jornalista e adora escrever sobre estilo de vida, viagens e histórias do cotidiano, como forma de diminuir as distâncias e estreitar os laços de amizade. Sonha morar em Paris e escrever um livro de crônicas.

 

 

Aprendendo a ser feliz

Postado em: 30/06/2017

Por Daniela Carvalho / Blog Encantes
 

O que nos move?

Tenho pensado muito sobre esse assunto e concluí que não é o amor, a culpa, o trabalho, a família e sim o medo de perder que faz a humanidade caminhar.

Caminhamos por medo de um dia perder tudo que conquistamos.

Com medo de sentir culpa, medo de não ser o bastante para as pessoas que amamos e medo da solidão.

Medo de amar e de perder o amor. Medo de conquistar uma família e depois ter que deixá-la.

Medo de conquistar e de ter sucesso e depois sentir o gostinho do fracasso e da perda.

O medo tem sido a grande razão de viver da humanidade.

E somos reféns do medo.

Muitas vezes nos apegamos a coisas e pessoas que nos deixam pra baixo, nos desmerecem, nos fazem nos viver por viver.

Fazemos muitas coisas e acreditamos em tantas outras que são complicadas, pesadas e chatas e isso por quê? Por medo.

Uma amiga certo dia me deu um sábio conselho, que nunca esqueci: Ninguém gosta de filme triste.

Mas, o medo da felicidade atrai tristeza, depressão e inveja. Quem consegue caminhar com uma bagagem tão pesada?

Quem já sentiu isso e acredito que a grande maioria alguma vez teve contato com esses sentimentos sabe do vazio que fica no peito.

Dá vontade de chorar e buscar a razão onde não existe sequer um fato. Não existe nada, só você e o seu medo.

Dá vontade de colocar a culpa nos outros. Afinal, como diz Sartre: “O culpado são os outros”. Os outros não entendem; os outros são difíceis; ingratos, injustos.

Está se sentindo gorda? A culpa é do marido e dos filhos que tomam todo o tempo e não dá para ir à academia.

Não foi à praia? A culpa é do chefe que a fez trabalhar até tarde. Não tem dinheiro? A culpa é dos pais que não a obrigaram a estudar e se esforçar em busca de metas maiores.

A culpa sempre é dos outros. 

No fundo, lá no fundo, existe um medo danado de admitir que se estava errado o tempo todo e que é preciso mudar de atitude, ideia, amor... 

Mas, se você não fizer isso, o medo também não vai passar. 

Então, você decide: vai ficar parado com medo ou vai tentar ser feliz?