Economia e Finanças



A coluna aborda de forma simples e direta assuntos de Economia importantes para o seu dia a dia. A coluna está a cargo da economista e professora universitária Tcharla Bragantin e do também professor universitário Juraci Marques, formado em Ciências Contábeis e pós graduado em Direito Tributário e Legislação de Impostos. 

Planejando 2017

Postado em: 24/03/2017

Juraci Marques*

Fazer o Planejamento para 2017 é muito importante para que não passe sufoco e que ainda possa atingir objetivos.

Você já sabe quais são as suas prioridades para o ano 2017?

Pretende comprar uma casa, fazer um curso, comprar um carro, pagar dívidas ou viajar. Estes são itens que normalmente aparecem nos nossos objetivos e metas.

Precisamos refletir sobre o que faremos de diferente neste ano para que nossos objetivos e metas sejam concretizados.

Para começar precisamos saber qual o nosso orçamento para o ano, as despesas previstas.

Com os dados em mãos precisamos identificar quais gastos são dispensáveis e que podem ser revertidos para algo que eu julgue mais importante para a minha vida.

Quando realizamos um planejamento, para que ele seja cumprido é necessário esforço, persistência e dedicação, não é uma tarefa fácil, mas com o passar do tempo se torna rotina.

O planejamento pode estar em uma agenda, um caderno ou outro meio, o importante é que esteja anotado e não somente em nossa cabeça, pois corremos o risco de esquecer algo que pode ser muito importante.

Temos que fazer o levantamento das nossas despesas mensal (energia elétrica, água, transporte, alimentação, entre outras).

As despesas fixas são mais fáceis de serem levantadas devido a sua constância.

Já as despesas que são variáveis, podemos considerar um mês em que foram consideradas normais, para termos uma média.

Já os gastos eventuais devem ser suportados pelas reservas financeiras que foram acumuladas mensalmente.

Temos que definir prioridades e traçar metas para as nossas despesas.

Não precisamos eliminar tudo o que temos de lazer, mas sim evidenciar o impacto no planejamento e se temos como arcar com a despesa.

Precisamos analisar se tem algo que pagamos e não utilizamos, como por exemplo, mensalidade de um clube ou academia que não utilizamos.

Temos que considerar os impostos e despesas eventuais como seguro do automóvel, IPVA, IPTU, licenciamento, materiais escolares e presentes de datas comemorativas.

Não são só as despesas que precisamos apurar, mas também as receitas mensais (salários, rendimentos, juros, etc.), não esquecendo das receitas eventuais como férias, décimo terceiro, bônus, comissões, etc.

As despesas e receitas devem ser acompanhadas e revisadas no mínimo uma vez por mês.

Enfim para que possamos ter uma vida mais equilibrada, o segredo é o planejar, planejar e planejar...

* Formado em Ciências Contábeis, Gestão Pública, Pós Graduado em Direito Tributário e Legislação de Impostos, Pós Graduado em Educação Infantil, servidor público municipal desde 2000, professor na  Etec de São Sebastião desde 2009, coordenador de cursos técnicos da Etec de São Sebastião de 2009 a 2012, ocupou o cargo de Chefe da Divisão de Planejamento Econômico da Secretaria da Fazenda de São Sebastião de janeiro de 2005 a dezembro 2008.