Por Onde Andei



Andressa Rodrigues é jornalista e apaixonada por viagens. Sempre que pode, coloca a mochila nas costas e parte para um novo destino. O marido é seu grande companheiro de aventuras, mas ela também encara desafios sozinha. Fazer amigos de todo canto do mundo, treinar o inglês e colecionar boas histórias são suas realizações favoritas.

Aniversário inesquecível no aeroporto: ao embarcar, certifique-se da volta!

Andressa Rodrigues

Dizer que uma viagem não terá surpresas, que tudo ocorrerá perfeitamente como o planejado, é uma “loteria” na minha opinião. O hotel pode não ser como o da foto do site ou pode chover num dia não esperado. Com relação a voos, eu imaginava que apenas os atrasos ou cancelamentos podiam ocorrer. Mas meu marido passou por uma situação que nos ensinou a ficar atentos a mais uma possibilidade.

Em maio de 2017 eu estava em Londres, na Inglaterra, estudando inglês. Meu marido tirou uns dias de folga e foi lá me visitar. O planejado era ele ficar uma semana comigo. Seu embarque de volta estava previsto para o dia 10 - um dia antes do seu aniversário. Ele chegaria a tempo de comer o bolo que sua mãe estava preparando. Mas...

No dia 10 fomos ao aeroporto com bastante antecedência. O balcão do check-in ainda não estava aberto e o voo só sairia lá pelas 10 da noite. Como eu não podia esperar, pois a janta na casa onde estava hospedada era servida pontualmente às 7, tive que deixa-lo lá sozinho - afinal, o que poderia dar errado? Na época, ele não falava muito bem inglês, mas achei que ele não precisaria desenrolar longas conversas.

Quando eu já estava em casa, me preparando para jantar, ele me manda um Whatsapp: “Me ajuda. Conversa com a moça aqui do check-in. Ela tá dizendo que minha passagem foi cancelada”. Na hora meu coração deu um pulo de susto! Perguntei a tal atendente o que havia acontecido. Ela disse apenas que a passagem de volta dele estava cancelada - que no Brasil fizeram isso. Então ele não tinha como embarcar de volta, a não ser que comprasse outro bilhete.

Eu já tinha ouvido várias histórias de voos cancelados, mas não de passagens! E até a gente descobrir o erro, demorou. Meu marido acabou dormindo num banco do aeroporto. Eu só pude encontra-lo na manhã seguinte. A matriz da tal companhia aérea fica em Madrid, na Espanha. Pedi para uma amiga colombiana do intercâmbio ligar lá para nos ajudar. Também precisei ligar no escritório deles em Londres; e acordei uma amiga no Brasil (estávamos quatro horas a mais que aqui) para ligar num escritório de São Paulo.

Depois de toda essa confusão é que veio o esclarecimento. Quando meu marido fez o check-in em Guarulhos, a atendente disse que o voo já estava lotado e que ele seria repassado para uma outra companhia aérea. Até aí, tudo bem! Mas a atendente da companhia original do bilhete não anotou essa observação e, no sistema, meu marido constou como “no show”, ou seja, que ele não embarcou. Se um passageiro não embarca, automaticamente o sistema entende que ele não precisa voltar, então cancela seu bilhete de volta.

Por fim, nossa amiga que fez a ligação para São Paulo conseguiu realocar meu marido num voo do dia 11, à noite - praticamente 24 horas depois do previsto. Ainda tivemos que mudar de aeroporto, do Gatwick para o Heathrow, distantes cerca de 60 quilômetros um do outro. Passamos o dia do aniversário dele juntos, em meio a tensão e risos. E eu não parava de lembrar daquele filme “O terminal”, no qual o personagem interpretado pelo Tom Hanks literalmente mora no aeroporto de Nova York por vários dias.

Por questão judicial, não vou dizer o nome da companhia aérea. Nós processamos a empresa e ganhamos. De qualquer maneira fica um alerta para todas. Se o padrão é “não embarca, não volta”, então certifique-se SEMPRE que você terá sua passagem válida, caso te mudem de companhia. Aproveito aqui para agradecer, mais uma vez, as amigas Luz e Ingrid que nos ajudaram :)

Como eu disse no começo, não dá para garantir que sua viagem ocorrerá sem surpresas. Acho que o segredo é manter o bom humor em todas as ocasiões. Não podemos deixar que um fato isolado tire todo o brilho de um passeio incrível. Afinal, quando a poeira baixar, você terá ótimas histórias para contar, rir e compartilhar. Viajando é que se aprende!